21 animais abandonados no portão da UIPA desde o início do ano, em Jundiaí, SP

Do dia 1º de janeiro até o último dia 21, a UIPA Jundiaí já contabilizou 21 animais abandonados em seu portão, entre cães e gatos adultos, além de filhotes. O último caso ocorreu na semana passada, por volta das 21h30. Quatro cães foram atirados de fora para dentro da entidade, passando pelo muro de três metros aproximadamente. A direção da UIPA fez mais um registro na Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (http://www.ssp.sp.gov.br/depa/DEPA/denuncia) e também comunicou o caso ao Departamento de Bem-Estar Animal (Debea), da Prefeitura.

Na noite do dia 21, o zelador do canil ouviu barulho de cães e ganidos. Os quase 300 cães passaram a latir insistentemente. Pouco depois, o zelador encontrou o cachorros. Eles estavam assustados e ariscos, o que causou grande tumulto no abrigo.

Apenas pela manhã, com a ajuda da presidente da entidade, Carmela Panizza, conseguiu-se conduzi-los, com muito esforço a um recinto, para alimentação e abrigo da chuva e frio.

A Uipa informou oficialmente o Debea, seguindo orientações do promotor público Claudemir Battalini, pedindo, inclusive, a retirada e acolhimento dos cães, o que não ocorreu até agora.

“A UIPA tem sofrido esse tipo de violência, contra a qual não pode se defender e não têm condições de abrigar mais animais dos que já lá estão e que é responsável, sem prejudicar-lhes o bem estar. Estes pobres animais jogados, na calada da noite, sofrem duplamente: pela violência do ato de bárbaros a que foram sujeitos e por não terem destino certo. Ainda que abrigados provisoriamente, supridas suas necessidades básicas, permanecem ariscos, assustados, com olhos perdidos: reações típicas de medo e incerteza diante do ser humano”, informa a instituição.

A resposta da Prefeitura – Questionada, a Prefeitura de Jundiaí divulgou a seguinte nota: A Unidade de Gestão de Planejamento e Meio Ambiente (UGPUMA) por meio do Departamento de Bem Estar Animal (Debea) informa o local, no Parque Centenário, oferta atendimento veterinário, com acolhimento somente em casos de animais feridos com risco de morte.

Vale ressaltar que, desde a sua concepção, o órgão presta serviços relacionados a atendimentos veterinários e exames, castrações, conscientização para adoção e microchipagem – educacionais em escolas sobre a guarda responsável. O registro da solicitação da UIPA foi feito pelo serviço 156. Contudo, o departamento não tem por finalidade o recolhimento de animais sadios.

Ainda é importante destacar que o abandono e maus tratos a animais é crime, previsto no Art. 32, da Lei Federal nº. 9.605 de 1998 (Lei de Crimes Ambientais) e o Art. 164 do Código Penal, prevê o crime de abandono de animais para aqueles que introduzirem ou deixarem animais em propriedade alheia, sem consentimento de quem de direito, desde que o fato resulte prejuízo. A pena prevista pelo Art. 32 da Lei de Crime Ambientais é de detenção de 3 meses a 1 ano e multa. A pena prevista pelo Art. 164 do Código Penal é de detenção, de 15 dias a seis meses, ou multa.

Somente no ano passado, o Debea ampliou o atendimento em 10% em relação ao que foi ofertado nos anos anteriores, tanto em castrações como nos demais atendimentos, inclusive para os animais de pessoas de baixa renda ou em vulnerabilidade social. Para este ano, a meta é ampliar, no mínimo em 33% o número de castrações. O espaço está em reforma para melhoria na qualidade das instalações para atender cães e gatos, incluindo a adequação do centro cirúrgico do prédio.

O trabalho de educação sobre guarda responsável é desenvolvido multiplataforma, já que envolve, além da UGPUMA, a Unidade de Gestão de Educação (UGE). Realizado nas escolas municipais desde o ano passado, o projeto compreende três aulas educativas – promovidas por uma educadora concursada da administração pública, voluntário protetor de animais silvestres e uma veterinária –, com duração de 60 minutos cada.

Somente no ano passado foram realizadas atividades em oito unidades escolares, com mais de 1,1 mil alunos atendidos. A aula inaugural do ano foi realizada no dia 22, na Escola Municipal de Educação Básica (Emeb) Maria Angélica Lourençon.

Fonte: Jundiaí Agora

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.