Abandono de cão São Bernardo revolta moradores da zona sul de Porto Alegre, RS

Abandono de cão São Bernardo revolta moradores da zona sul de Porto Alegre, RS

No domingo, 20, mais de 80 pessoas, entre vizinhos e defensores dos animais, protestaram contra o abandono de um cão no condomínio Moradas do Sul, localizado no bairro Hípica, Zona Sul de Porto Alegre.

Vestidos de preto e munidos de megafone, os manifestantes gritaram por justiça e colaram cartazes na fachada da casa da suspeita de ter descartado o cão, da raça São Bernardo, no sábado, 18, e ainda resgataram outros dois cachorrinhos que eram mantidos pela tutora irresponsável e os levaram a uma clínica para atendimento. Ambos os animais estavam lotados de carrapatos e com inflamação nos olhos. Ficaram internados para exames, pois há suspeita de cinomose. Conforme os vizinhos, desde sexta-feira, 17, não havia ninguém na casa, sendo frequente os cães ficarem dias sem água e comida.

Depois do caso comover as redes sociais, vários internautas identificaram que a suspeita é Técnica em Assuntos Educacionais, vinculada à Defensoria Pública da União (DPU), e está com viagem marcada para curso de mestrado em Portugal, a partir de 18 de fevereiro. “Sua atitude criminosa, cruel e covarde, precisa chegar ao conhecimento da DPU, em especial porque, segundo consta, alegou ter “costas quentes” em razão de seu cargo”, refere uma das postagens.

Mais sobre o caso

Na sexta-feira, 18, o abandono de um cão São Bernardo na Zona Sul de Porto Alegre causou revolta nas redes sociais. O animal estava com bicheira no olho e visivelmente debilitado. O cachorro foi resgatado por um morador do loteamento Moradas do Sul, passou por vários exames e está internado em estado grave, sendo confirmada cinomose, provavelmente resultante da negligência da tutora quanto à vacinação. “Ela sabia do estado de saúde dele e não se importou”, diz uma das postagens.

O crime foi filmado pelas câmeras de segurança, permitindo a identificação da tutora do animal. Conforme relato de vizinhos, a mulher já foi denunciada por maus tratos e mantém mais dois animais “passando fome”.

No mesmo dia, protetores da Zona Sul de Porto Alegre se reuniram para protestar. Exigem que a crueldade cometida contra o animal seja punida, pois segundo relatam os vizinhos, a tutora diz ter “as costas quentes” por ser formada em Direito e trabalhar na Defensoria Pública. “Além de cometer vários crimes e atrocidades contra os animais, tenta ameaçar e intimidar protetores indignados com tamanha crueldade”, denuncia uma das postagens.

Fonte: Assessoria

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.