Abandono e maus-tratos de animais são denunciados pela população em Toledo, PR

Com o aumento das denúncias de maus-tratos e abandono de animais, a Coordenação de Defesa e Proteção aos Animais, Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (Cmpda), Associação Focinhos Carentes de Toledo (Afocato) e Polícia Civil (PC) iniciaram o ano de 2015 com registros de diversas ocorrências.

Sem responsabilidade, os tutores deixam os animais de estimação em abrigos inadequados, onde os bichos ficam expostos ao sol ou à chuva, ficam doentes e não recebem os cuidados necessários. Além disso, ocorrem situações de espancamento cometido pelo próprio tutor que leva ao óbito.

A investigadora da PC e integrante do Cmpda Rosangela Zanetti comenta que com as denúncias é possível evitar a morte dos animais e permitir que eles tenham um lar adequado. “Iniciamos o ano com várias situações de maus-tratos e abandono. O número de denúncias cresceu, mas isso não significa que os casos aumentaram”.

Rosangela explica que na maioria dos casos os animais são retirados dos tutores. Assim que é lavrado o Boletim de Ocorrências – ou seja, envolve a parte criminal – a PC desloca-se até o local para averiguar os fatos. A ocorrência é repassada ao Ministério Público e o promotor determina o recolhimento do animal. O tutor é intimado e após ser ouvido pelo escrivão é emitido o Termo que é encaminhado ao Fórum.

PUNIÇÃO

Em alguns casos os tutores são apenas orientados e alguns dias depois os policiais realizam uma nova visita para constatar se ele atendeu o que foi proposto. Porém, a investigadora enfatiza que quando uma situação de maus-tratos é constatada o causador não fica impune. Até nas situações de envenenamento – com registro de Boletim de Ocorrência – a PC é atuante. Quando são apontados os possíveis suspeitos, os investigadores localizam os acusados para que ocorra uma conversa.

ABANDONO

Entre os casos ocorridos desde o início do ano, as situações de abandono de filhotes de cachorro chama a atenção da coordenadora da Defesa de Proteção Animal de Toledo Maria Lucia Gollmann. “Em alguns pontos da cidade já encontramos mais de dez filhotes abandonados. Em um dia de semana foram abandonados quatro e no fim de semana foram mais nove filhotes, todos no mesmo local”.

Maria Lucia pontua que este tipo de abandono já existia, porém não era algo comum. “Ainda não temos um abrigo para recolher todos estes animais. Dependemos da solidariedade das protetoras e, infelizmente, já não temos o suficiente para que todos os animais encontrados sejam adotados”, lamenta.

Geralmente, os filhotes abandonados vão para a feira de adoção realizada pela Afocato.

CASTRAÇÃO

Para a coordenadora o problema do abandono não tem solução imediata. Ela lembra que o convênio de castração está vigente, mas o número de esterilizações realizadas todos os meses ainda é pequeno se comparada à quantia de animais que já estão nas ruas. “Nosso objeto é firmar novas parcerias para que mais animais sejam castrados e possamos evitar o abandono”.

Fonte: Jornal do Oeste

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.