Acordo para esterilizar 1.710 animais errantes em Funchal, Portugal

CMF promove vacinação grátis e abre centro de esterilização para animais errantes.

263

É um passo determinante para o controlo dos animais errantes. Um protocolo celebrado entre a Câmara Municipal do Funchal (CMF) e a Associação de Municípios da Madeira (AMRAM), a vigorar desde Novembro, vai permitir a realização de esterilizações a 1.710 animais de rua, sendo 1.050 canídeos e 660 felídeos.

“Até a data já foram efectuadas 100 esterilizações e este será um dossier prioritário para nós ao longo deste ano”, declarou ao DIÁRIO, Idalina Perestrelo, vereadora que além do pelouro do Ambiente também tem a pasta da Causa Animal.

“A única forma de fazer o controlo de existências destes animais é por via da esterilização generalizada, e através deste protocolo com a AMRAM vamos claramente reforçar a resposta que tinha sido possível dar até aqui”, acrescentou.

Ao longo dos últimos quatro anos já foram esterilizados 910 cães e gatos, entre o Canil Municipal do Vasco Gil e ao abrigo dos protocolos que a CMF tem com outras entidades sem fins lucrativos como a AMAW, a AMRAM e a ‘Patinhas Felizes’.

Um esforço que nem sempre foi mantido de forma consentânea e que deriva das mudanças que tiveram de ser implementadas na gestão do canil: Em 2014, foram realizadas 264 esterilizações, 146 em 2015, 175 em 2016, no tempo em que a SPAD era a entidade responsável, seguindo-se a AMAIS, com 325 em 2017.

Outro grande objectivo da autarquia é a abertura de um Centro de Atendimento Médico-Veterinário, onde passarão a estar centralizadas as esterilizações de animais errantes ou pertencentes a famílias carenciadas.

Idalina Perestrelo revela que já foi atribuído à associação AMAW, e pelo período de 10 anos, no regime de comodato, o edifício da antiga escola do Faial, em Santa Maria Maior, para que a associação ali instale o referido centro que funcionará ao abrigo do protocolo com a CMF.

As obras foram asseguradas pelo Município, custaram 100 mil euros e já estão concluídas. “O novo espaço tem abertura prevista para os primeiros meses deste ano”, anunciou ao DIÁRIO a vereadora.

No entanto, perante a indecisão do Governo Regional em adaptar o decreto-lei para a contratação municipal de veterinários, a CMF tomou a iniciativa e garantiu, desde 2016, a afectação de uma veterinária aos quadros da autarquia. A abertura de procedimento para esta carreira que já existe nas outras câmaras do país há vários anos, mas que só agora foi legislada na Região, foi aprovada na reunião de câmara de 9 de Novembro de 2017.

Ainda neste domínio, a autarquia está a desenvolver, desde o ano passado, um inventário de animais domésticos em todo o concelho, “com o objectivo de construir uma base de dados para que futuramente as campanhas de esterilização e vacinação sejam mais adequadas à realidade dos munícipes, no que aos animais de companhia diz respeito”, sustenta Idalina Perestrelo.

18 mil cães e 8 mil gatos recenseados

Estas acções visam o recenseamento dos cães e gatos do concelho do Funchal e a sensibilização acerca das regras para a posse de animais de companhia. Até este momento, tendo por base os levantamentos já efectuados, a CMF estima a existência de cerca de 18 mil cães e 8 mil gatos em domicílios do Funchal.

Recorde-se que a CMF foi a primeira autarquia da Região a acabar com a eutanásia, uma prática que chegou a ser utilizada abusivamente para fazer face à sobrelotação que se verificava no canil municipal. Conforme o DIÁRIO noticiou em Abril de 2014, a SPAD, antiga gestora do canil municipal, chegou a exterminar 1.800 animais num ano, o equivalente a 68% dos cães e gatos recolhidos das ruas. Foi o despertar da consciência colectiva para a forma drástica como o problema estava a ser sentenciado na Madeira.

Desde então, a CMF reviu o modelo da recolha oficial de animais. Investiu 200 mil euros na requalificação do canil do Vasco Gil, e lançou, pela primeira vez, um concurso público para a gestão do canil, de forma a garantir transparência e alterar as políticas de gestão.

Um milhão de euros para a causa animal

Nos últimos quatro anos, a Câmara Municipal do Funchal (CMF) investiu mais de um milhão de euros na causa animal, destacou Idalina Perestrelo que considera que o Município tem “dado o exemplo ao contribuir para mudar a visão da cidade e a sua maneira de estar perante esta questão” e tem tido “a coragem de assumir a causa animal com uma das causas comuns”.

No global, foram investidos 1.125.154 euros. A maior fatia, destinou-se às entidades que gerem o canil municipal do Vasco Gil. O protocolo da CMF com a Sociedade Protectora dos Animais Domésticos (SPAD) para a gestão do canil entre 2013 e 2016 custou 486.102 euros; já o contrato com a AMAIS, entre 2016 e 2018 representa um invstimento de 307.488 euros.

Para as obras de requalificação e equipamentos do Canil Municipal do Vasco Gil, a Câmara alocou 197.440 euros e 100 mil euros para a reabilitação do Centro de Atendimento Médico-Veterinário na Escola do Faial .

Para esterelizações de animais errantes, a autarquia investiu 19 mil euros no protocolo com a AMAW. A campanha de profilaxia (vacinas e chips electrónicos) custou 8 mil euros e as campanhas de sensibilização 1.149 euros.

Vacinação grátis para cães a partir do dia 17

A realização de mais uma campanha municipal gratuita de vacinação antirrábica e de identificação electrónica para cães com mais de três meses de idade, será hoje aprovada em Reunião de Câmara. Um investimento na ordem dos 8 mil euros.

Depois do sucesso da campanha inaugural que teve início no Verão passado, o que permitiu a vacinação de cerca de 700 animais de companhia, a autarquia pretende lançar a 2.ª edição da campanha de profilaxia entre os dias 17 de Fevereiro e 10 de Março, que voltará a percorrer todas as freguesias do concelho.

A campanha não apresenta quaisquer custos para os detentores de cães domésticos e engloba a vacinação, a colocação do chip e o registo animal. Para beneficiar, basta ser residente numa freguesia do Funchal. Por isso, a CMF recomenda a todos os munícipes que procedam desde já a uma pré-inscrição na respectiva Junta de Freguesia.

“O objectivo é dar, uma vez mais, a oportunidade a todos os munícipes de vacinar e identificar o seu cão ou cadela de forma gratuita, com o objectivo de assegurar a cobertura da profilaxia antirrábica dos animais domésticos e um maior controlo de existências destes animais no Funchal. Esta foi uma medida pioneira que desenvolvemos no ano passado, em colaboração com as Juntas de Freguesia do concelho, e representou um grande passo em prol da causa animal e da saúde pública”, enaltece Idalina Perestrelo, vereadora com o pelouro da Causa Animal no Município. “Nunca nada do género havia sido feito no Funchal, no sentido de ajudar os portadores de canídeos a garantir os direitos dos seus animais”, sublinha.

Por Ricardo Duarte Freitas

Fonte: D de Notícias

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.