Foi realizada panfletagem com informações acerca de crimes ambientais (Fotos: Portal Infonet)

Agressão a animais está entre crimes ambientais mais denunciados em Sergipe

Nesta terça-feira, 5 de junho, data que marca o Dia Internacional do Meio Ambiente, a Polícia Civil realizou uma ação para informar à população sobre a atuação da Secretaria de Segurança Pública (SSP) no combate à crimes que afetam a natureza. Agressões a animais e destruição de áreas de preservação permanente são alguns dos delitos investigados.

A Delegacia de Proteção ao Consumidor e Meio Ambiente (Deprocoma) é responsável por esse tipo de ocorrência. Mas, de acordo com a delegada Viviane Pessoa, qualquer delegacia pode receber denúncias. “Qualquer delegacia, inclusive no interior, pode atuar nos crimes ambientais, referentes à fauna, flora, recursos hídricos, entre outros”, explica.

Agressões contra animais domésticos estão entre os casos mais denunciados à Polícia Civil, segundo a delegada. “A gente tem muitas denúncias de maus-tratos a animais. Hoje o animal doméstico é considerado um bem, de acordo com a legislação. Às vezes é o bem mais precioso que a pessoa tem”, analisa. “Por isso a Policia Civil trabalha com a questão da prevenção. Quando a gente consegue conscientizar e educar a população, não precisa chegar ao extremo, que é a repressão”, destaca Pessoa.

Viviane Pessoa: "Quando a gente consegue conscientizar o e educar a população, não precisa chegar ao extremo, que é a repressão"
Viviane Pessoa: “Quando a gente consegue conscientizar o e educar a população, não precisa chegar ao extremo, que é a repressão”

A Lei de Crimes Ambientais, a 9605/98, prevê crimes contra a fauna e a flora, contra o ordenamento urbano e patrimônio cultural, além da administração ambiental. Denúncias podem ser feitas através do 181 ou do (79) 3198-1100 (Deprocoma).

Como forma de conscientização, a SSP realizou panfletagem nos sinais e plantação de mudas na no Parque Governador Augusto Franco, a Sementeira.

Por Jéssica França

Fonte: Infonet

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.