Agricultor é detido em PE por vender papagaios na internet

Agricultor é detido em PE por vender papagaios na internet

Um agricultor de 27 anos foi detido, acusado de vender papagaios pelas redes sociais. Jefferson Souza de Morais, que reside no bairro de San Martin, no Recife, foi pego por policiais da 1ª Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma). Jefferson havia publicado fotos das aves na Internet e anunciado a venda com um número de celular. Os policiais simularam uma compra, marcaram com ele por meio de Whatsapp e o prenderam em flagrante. Por se tratar de venda de animal silvestre, que é considerado crime ambiental, Jefferson foi autuado na sede da Polícia Federal. Ele vai responder a um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) em liberdade.

De acordo com a Polícia Federal, o agricultor comercializava as aves por R$ 500, mas poderia vender por R$ 450. Segundo o anúncio publicado nas redes, Jefferson dizia ter 14 papagaios para vender. A pena para esse tipo de crime pode chegar a um ano de detenção. O agricultor foi autuado na última quarta-feira (19), mas a PF só divulgou o caso nesta quinta (20).

Segundo os policiais do Cipoma, Jefferson foi ao encontro marcado, em frente ao Hospital da Mulher, no Curado, levando três papagaios em uma caixa de papelão. Depois do flagrante, os pms seguiram com o agricultor até a casa dele, no bairro de San Martin. Porém, os policiais não encontraram nenhuma ave mais na residência.

Em depoimento, Jefferson informou que comprou quatro papagaios de um caminhoneiro na Ceasa por R$ 250, cada, e um dos animais acabou morrendo. O agricultor falou ainda que não conhecia o caminhoneiro e, que num primeiro momento, tinha a intenção de criar as aves. Mas no dia seguinte, mudou de idéia e resolveu coloca-los à venda no Facebook num perfil que vende diversos apetrechos para animais.

Segundo a PF, todos os animais apreendidos foram entregues para os representantes da Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH), onde ficarão à disposição do Centro de Triagem de Animais Silvestre (Cetas), onde após análise de suas condições serão reinseridos na natureza. Além dos pássaros também foram apreendidos um aparelho celular e a importância de R$ 800.

Fonte: Diário de Pernambuco

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.