Ajude a conseguir justiça para a pit Bull prenhe que foi assassinada em um abrigo sem NENHUM MOTIVO … enquanto tinha seus filhotes! – Olhar Animal
Foto: Pixabay

Ajude a conseguir justiça para a pit Bull prenhe que foi assassinada em um abrigo sem NENHUM MOTIVO … enquanto tinha seus filhotes!

O Amarillo Animal Management & Welfare (AAM&W), um abrigo público localizado em Amarillo, Texas, alega fornecer “cuidados humanitários para … animais perdidos, feridos, maltratados e abandonados”. No entanto, quando uma Pit Bull prenhe conhecida como G7 foi entregue ao abrigo por seu tutor. A equipe da instalação tratou o amável filhote de uma maneira que nenhum ser humano decente consideraria humano.

Um dia depois de chegar ao abrigo, G7 entrou em trabalho de parto e começou a dar à luz seus filhotes. Dacia Anderson, uma voluntária da Amarillo Panhandle Humane Society, estava na AAM&W tirando fotos dos cães naquele dia e notou que G7 estava tendo filhotes. Após uma inspeção mais minuciosa, ela percebeu que G7 estava deitada diretamente no concreto e não tinha uma caixa de parto, um aparato para garantir a segurança dos filhotes enquanto nascem.

Muito preocupada com o bem-estar de G7 e seus filhotes, Anderson foi até a área do escritório principal do abrigo para alertá-los de que a cadela estava em trabalho de parto e precisava de atenção. Informaram-lhe para falar com o Sr. Havens, o diretor do abrigo. Uma vez que ela o encontrou, o Sr. Havens supostamente disse a ela para procurar Christy, a diretora assistente da organização. A caminho de fazer isso, Anderson encontrou outro funcionário do abrigo e explicou a situação de G7, a tal ponto que esse funcionário prometeu cuidar da situação. Logo depois, Anderson viu quando um atendente do canil colocou uma caixa de parto, e assumiu que G7 e suas crias teriam a ajuda de que precisavam.

Infelizmente, Anderson descobriu mais tarde que sua suposição estava errada: em vez de dar a ajuda que precisavam, o pessoal do abrigo decidiu eutanasiar G7 e seus filhotes. Como Anderson afirmou em uma publicação no Facebook, o abrigo disse a ela que G7 passou os segundos finais de vida tentando limpar seu filhote recém-nascido.

Em uma tentativa de justificar o ato monstruoso, Havens declarou numa reportagem de um noticiário televisivo que o abrigo fez “um gesto humanitário” ao realizar a eutanásia de G7 e seus filhotes, porque o tutor anterior da cadela relatou que ela era agressiva, o que significava que ela não era elegível para adoção ou lar temporário.

Anderson derrubou esse conceito ao apontar que G7 foi colocada com a população geral de cachorros do abrigo e não foi marcada como perigosa. Além do mais, quando Anderson tirou uma foto de G7, era evidente que a Pit Bull abandonada estava assustada, mas ela era perfeitamente amigável e não mostrava sinais de agressividade.

“Ela não foi eutanasiada antes de entrar em trabalho de parto, ela não foi eutanasiada depois, ela foi eutanasiada ao ter os filhotes. Então, agressiva ou não, eu não sei como você pode desculpar o que foi feito ou dizer ”é por isso que o fizemos””, disse Anderson.

Se você concorda com Anderson, de que a decisão dos diretores da AAM&W de matar G7 e seus filhotes foi na realidade o oposto de algo humano, por favor, assine a petição do site Care2 para dizer ao administrador da cidade de Amarillo que esses indivíduos devem ser demitidos de imediato, antes que acabem com as vidas de mais animais inocentes de forma sem sentido. Devemos isso à G7 e seus filhotes para pegar essas pessoas que são, com certeza, inadequadas para decidir quais animais vivem ou morrem em suas posições de poder!

ASSINE A PETIÇÃO!

Por Estelle Rayburn / Tradução de Leonardo Lobo da Luz

Fonte: One Green Planet 


Nota do Olhar Animal: Eutanásia é um ato de caráter misericordioso que é realizado em benefício de quem o recebe. Portanto, este é mais um caso de assassinato, de extermínio, NÃO de eutanásia.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.