Amazon vende lagostas vivas online no Reino Unido

Organização de proteção dos animais protestou contra maus-tratos

A transnacional de comércio eletrônico Amazon colocou em sua página no Reino Unido diversos anúncios de lagostas vivas, que também podem ser enviadas ao exterior.

A oferta gerou reações na Europa, e a Entidade Nacional de Proteção dos Animais (Enpa), maior organização do tipo na Itália, afirmou que não se pode consentir que alguém “venda animais na plataforma”.

“Os animais são colocados em caixas e mandados ao endereço de destino, onde chegam em alguns dias”, declarou a Enpa. “Embalar uma lagosta viva, tirando-a do seu habitat e obrigando-a a viajar em uma caixa por centenas ou milhares de quilômetros, é uma forma evidente de maus-tratos”, lamentou.

A ONG pede que a Amazon seja sensível às causas dos animais e leia todas as críticas recebidas de seus próprios usuários. Caso os anúncios não saiam do ar, a Enpa disse estar pronta para começar uma “greve de compras”, mesmo que coincida com o Amazon Prime Day, o maior evento de descontos da empresa, marcado para 16 de julho.

“O e-commerce não pode ser terra de ninguém, um mercado virtual onde a falta de referência territorial seja pretexto para que não sejam considerados nem os elementos mais básicos de respeito aos seres vivos não-humanos”, conclui a entidade italiana.

 

Fonte: Agência ANSA via Jornal do Brasil


Nota do Olhar Animal: Óbvio que a questão não se restringe à venda dos animais vivos. O problema principal é o próprio abate do animal, independentemente do momento em que ele ocorre. A venda das lagostas ainda vivas é um agravante.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.