Animais de rua serão castrados em Imbituba, SC

Convênio com clínica veterinária irá castrar 400 animais na primeira etapa. Em Imbituba, segundo censo, há cerca de 20 mil animais.

174
Animais precisam de atenção e cuidados especiais (Foto: Divulgação/Notisul Imbituba)
Animais precisam de atenção e cuidados especiais (Foto: Divulgação/Notisul Imbituba)

Um problema recorrente nas cidades é a presença de animais abandonados, perdidos ou mesmo vivendo nas ruas, sujeitos a todo risco de doenças, acidentes e maus tratos. A perspectiva nacional de abandono de animais assusta. A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que no Brasil existam mais de 30 milhões de animais nas ruas das cidades. Desses, 20 milhões são cachorros. Nos grandes centros, a estimativa da OMS é de que, para cada cinco moradores, haja um cão, e 10% desses animais estão abandonados.

Em Imbituba, o último censo realizado em 2012 contabilizou cerca de 20 mil animais, sem estimativa certa de qual percentual estaria em situação de abandono. Para amenizar o problema, a prefeitura realizou uma licitação emergencial para firmar convênio com clínica veterinária do município, que irá castrar 400 animais de rua (cães e gatos) ou acolhidos por entidades protetoras de animais nesta primeira etapa. “É preciso cuidar do animal de estimação, é preciso que se leve no veterinário. Os medicamentos são caros, por isso criar animal exige planejamento. As pessoas aceitam um ser vivo em casa, mas na primeira chateação soltam. Cão solto na rua gera problemas”, destaca a diretora de Vigilância Sanitária do município, Camila Fermino.

Conhecida por seu trabalho social com animais abandonados, a protetora Vany Miguel faz um alerta para a importância da conscientização na hora de se criar qualquer tipo de animal. “As pessoas compram e adotam animais e se esquecem de que eles são seres vivos, não objetos. Em qualquer dificuldade que aparece, os abandonam”, diz a protetora, que abriga 18 cães e sete gatos, mas já chegou a cuidar de 38.

Fonte: Notisul

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.