Animais esqueléticos imploram por comida em zoológico na Indonésia

1926

O criticado e já obsoleto modelo de zoológicos ainda resiste a desaparecer, em parte por causa de interesses econômicos de investidores ou também pela morbidez dos visitantes que continuam a frequentar estes lugares, questionando pouco sobre a integridade dos animais ali encerrados.

O Zoológico de Bandung, na Indonésia, aparece no olho furacão de polêmicas, após a divulgação de imagens pelo grupo de bem-estar animal Scorpion Wildlife Trade Monitoring Group. Nas fotos e vídeos publicados é possível ver diferentes animais totalmente desnutridos, esfomeados e alguns deles a beira da inanição e implorando por comida aos visitantes do zoológico que olham impassíveis a absurda situação.

Em um dos vídeos, um urso malaio implora por comida, enquanto se põe de pé em duas patas e deixa ver claramente as costelas que se revelam a falta de alimentação.

Há uma petição coletando assinaturas, que pede o encerramento imediato das instalações e a recolocação humanitária e compassiva dos animais em santuários ou lugares adequados, que pode assinar aqui.

ASSINE A PETIÇÃO

No Uruguai

A crueldade nos zoológicos não é coisa nova, e muito menos nova para o Uruguai. No zoo de Villa Dolores ainda existem animais enjaulados, embora há mais de dois anos que o fechamento do recinto foi decretado.

Em Maldonado também há animais no zoológico de San Carlos, embora outros tenham sido libertados. Alguns, infelizmente, verão a morte detrás de quatro paredes, pois nunca poderão ser libertados devido a incapacidade de adaptação a vida selvagem.

De acordo com as informações que aparecem no site da Intendência de Montevideo, atualmente o zoológico permanece fechado para reformas “até novo aviso”, apesar de que no mesmo prédio funcione o Planetário de Montevideo, que continua aberto e com exibições constantes ao público.

Tradução de Flavia Luchetti

Fonte: LR21

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.