Animais nas ruas aumentam e projeto de castração seria a única solução de imediato em Umuarama, PR

122

É fácil encontrar um animal abandonado ao caminhar pelas ruas dos bairros e centro de Umuarama. Cachorros, gatos e cavalos percorrem a cidade em busca de comida e abrigo, a situação vem piorando com o passar do tempo e para os profissionais da área e ativistas, só um centro de zoonoses poderia amenizar tal situação. Lembrando que o animal de rua é um problema de saúde pública.

Segundo a presidente da Sociedade de Amparo aos Animais de Umuarama (Saau), Ana Maria Polaquini, o abandono sempre existiu, mas o número saltou nos últimos anos e com isso, também a quantidade de animais vivendo nas ruas da cidade. Conforme a presidente, diariamente chegam de 10 a 12 denúncias a Saau, entre abandono na rua, pessoas que mudaram e deixaram os animais para trás, maus tratos entre outras situações.

Mas Ana alerta que agora a ONG está investigando tais casos e ao identificar os agressores esses são denunciados. “Quando descobrimos quem abandonou o cachorro, gato ou outro animal, realizamos um Boletim de Ocorrência para essas pessoas serem responsabilizadas pelos seus atos. Só assim o agressor vai parar de realizar tais ações”, disse.

Veterinária em Umuarama, Juliana Amarante, também confirma o aumento de animais abandonados pelas ruas da cidade. Para a médica veterinária, a situação preocupa, pois tais animais podem triplicar em apenas um ano, além da situação promover sofrimento aos bichos e também risco a saúde do homem. “Esses animais passam frio, fome, podem ser atropelados e carregam doenças. Sendo que tais zoonoses podem ser passadas para o ser humano”, disse.

Ambas as entrevistadas acreditam que a construção de um centro de zoonoses em Umuarama seria uma ação para melhorar a situação do município. Porém, a educação também deveria fazer parte de uma mudança de mentalidade da população local, uma vez que muitos animais adultos ou filhotes em situação de rua foram abandonados.

Hoje Umuarama não conta com um canil municipal nem o centro de zoonoses, desta forma o controle da natalidade dos animais chega por meio de caridade das clínicas particulares, das universidades e principalmente dos voluntários da Saau. “Fazemos parte da Rede Estadual de Proteção aos Animais. O governador ressaltou que é necessário os municípios e o governo realizarem um projeto de castração, mas até agora nada. Vamos aguardar as próximas reuniões”, disse Ana.

SAAU – Só na Saau hoje são mais de mil animais entre cachorros e gatos. Conforme Ana Polaquini o município realiza um repasse de R$ 20 mil para Ong, porém os custos no fim do mês chegam fácil a mais de R$ 80 mil. “Segunda realizamos oito castrações, hoje (terça-feira) mais oito e amanhã (quarta-feira) temos 15 castrações marcadas. Tudo cai aqui na Saau, se tem uma mula invadindo as lojas no centro da cidade é a Saau que é chamada, se tem abandono e maus tratos ligam para a Saau. Mas para isso precisamos de ajuda, hoje não temos mais espaço para animais” desabafou a presidente. Quem quiser ajudar a SAAU com doações pode entrar no site: saau.com.br.

Saúde pública sim

Os animais abandonados, que vivem em condições de pouca higiene e na rua podem transmitir doenças e isso deve ser considerado um problema. Entre as doenças estão a raiva, que a transmissão ocorre pela mordida do animal doente.

Outra bem conhecida das mães é a Larva Migrans cutânea ou Bicho Geográfico – A transmissão é pelo contato com areia contaminada com fezes de cães. Umuarama já passou por um surto de Lepstospirose, doença causada por bactéria presente na urina dos ratos que contamina a água de enchente, lama etc.
O cão que tiver contato com a urina de ratos se contamina e pode transmitir ao homem. Por fim, mas não última, a Sarna que produz coceira incessante e causa feridas. Pode ser contraída no contato direto com a pele.

O que é Centro de Zoonose?

O Centro de Zoonoses é a opção adotada pelos governos para garantir o bem-estar de animais e da população. Agindo no controle das zoonoses (doenças que podem ser transmitidas de animais para seres humanos) e na prevenção de epidemias. O centro conta com outros atributos, como a castração e muitas vezes é ligado ao setor da Vigilância Sanitária.

Fonte: Ilustrado

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.