Animais silvestres serão socorridos no hospital veterinário da Furb, em Blumenau, SC

Blumenau terá um serviço de atendimento a animais silvestres a partir de novembro.

O projeto de extensão apresentado pela Furb em parceria com a Faema e Polícia Militar Ambiental deve minimizar o tempo de espera desses animais por um socorro, além de reduzir os custos com deslocamentos.

“Atualmente, em qualquer ocorrência ou acidente, o bicho é encaminhado pela Polícia Ambiental até Florianópolis para receber o atendimento. A partir da implantação do serviço em nossa região, será possível diminuir as mortes e aumentar o número de reabilitação dos animais sobreviventes”, avalia o presidente da Faema, Eder Boron.

Na reunião do Conselho Municipal do Meio Ambiente (CMMA) na semana passada, foi aprovado pelo presidente e conselheiros a utilização do Fundo Municipal do Meio Ambiente para a implantação de um Serviço de Atendimento a Animais Silvestres em Blumenau (SAASBLU). O atendimento ocorrerá no Hospital Veterinário da Furb e terá o custeio de R$ 65 mil do Fundo.

Quando houver alguma ocorrência, a Polícia Militar ficará responsável pelo recolhimento dos animais e pelos primeiros socorros. Depois, eles serão levados ao hospital, onde receberão os cuidados dos profissionais e estudantes.

De acordo com a Faema, na região há ocorrências com capivaras, cutias, gambás, bugios, roedores, aves, corujas, entre outras espécies. Todos vítimas de atropelamentos, eletrocussões, ataques de outros animais e também doenças.

Segundo dados da PM Ambiental, em 2017 mais de 400 ocorrências foram registradas, sendo que em 200 delas os animais estavam mortos ou gravemente feridos.

Conforme prevê o artigo 11 da Lei complementar 747, que institui o Código do Meio Ambiente do Município de Blumenau, a utilização dos recursos do Fundo Municipal deve ser aplicada em desenvolvimento de planos, programas e projetos, que fomentem o uso sustentável dos recursos naturais, além da educação e do controle ambiental.

Fonte: O Município

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.