Filhotes de tucanos resgatados em MS — Foto: PMA / Divulgação

Apenas 1 sobrevive, de cada 10 pássaros silvestres capturados por traficantes em MS, aponta Polícia Ambiental

As mais recentes vítimas dos traficantes de animais em Mato Grosso do Sul, foram três filhotes de papagaio resgatados pela Polícia Militar Ambiental (PMA). Nesta segunda-feira (17), eles não resistiram e morreram. Os animais estavam no Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), em Campo Grande. Apesar do esforço dos veterinários, os pássaros não conseguiram superar o grande período de fome e sede que enfrentaram nas mãos dos traficantes.

Os papagaios mortos entram para uma triste estatística da PMA do estado. De acordo com o tenente-coronel Ednilson Paulino Queiroz, de cada 10 pássaros silvestres capturados por traficantes em MS, apenas 1 consegue chegar vivo aos compradores.

“Os animais são capturados com crueldade, muitas vezes retirados dos ninhos com uma semana de nascimento e sem nenhuma penugem”, disse o tenente.

O tempo que permanecem mal alimentados e em condições precárias na casa dos criminosos aumenta o índice de mortalidade. Na última semana, a Polícia Ambiental fez dois resgates contabilizando mais de 100 filhotes de papagaios. Os animais estavam espremidos em caixas de papelão.

Os filhotes de papagaios armazenados pelos traficantes em caixas de papelão — Foto: PMA / Divulgação
Os filhotes de papagaios armazenados pelos traficantes em caixas de papelão — Foto: PMA / Divulgação

“Os pássaros quando são alimentados pelos criminosos, comem uma papa a base de milho e água feita sem nenhum cuidado. O alimento pode estar contaminado e é oferecido de uma forma que os bichinhos engasgam ou rejeitam a comida”, afirmou o tenente.

O transporte é outro momento de muito sofrimento e mortes. Geralmente, os filhotes são colocados em caixas vedadas, isso é feito pelos traficantes para diminuir o barulho causado pelos bichos.

Quando a viagem é longa, os pássaros chegam a ser sedados, e, muitos não resistem a forte medição aplicada. Os traficantes podem ser autuados por maus tratos de animais. A pena para o crime varia de 3 meses a 1 ano de prisão.

Papagaio, principal alvo

Por reproduzirem a voz humana, o papagaio é o principal alvo dos criminosos. De acordo com a Polícia Ambiental, os traficantes criam uma rede de coleta e venda. Eles agem entre agosto e dezembro, época de reprodução dos papagaios. Os criminosos vãos a fazendas e assentamentos no interior do estado e aliciam pessoas oferecendo R$ 50 por cada filhote capturado.

Os animais são retirados dos ninhos com idade entre 1 a 3 semanas. Na sequência, eles são colocados em caixas, transportados e escondidos em péssimas condições. Os animais ficam na casa dos criminosos, muitas vezes, sem nenhum tipo de alimentação e são revendidos para compradores de outros estados.

Segundo o tenente-coronel da PMA, Ednilson Paulino Queiroz, o principal destino dos papagaios de Mato Grosso do Sul é o estado de São Paulo. As investigações apontam que eles são comercializados rapidamente na capital paulista por valores que variam entre R$ 500 e R$ 600.

VÍDEO: Papagaios resgatados em MS

Por Ricardo Freitas, G1 MS

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.