Araguaína (TO) começa vacinação antirrábica por bairros periféricos

292
Araguaína (TO) começa vacinação antirrábica por bairros periféricos
Meta do Município é de vacinar 22.779 animais, entre cães e gatos, nas zonas rural e urbana; o Dia D da campanha será no dia 18 de março (Foto: Ascom Prefeitura)

Toda pessoa que tem seu cachorro e seu gato em casa já sabe: vacinar seu animal todo ano contra a raiva. Este ano, a Prefeitura de Araguaína, por meio da Secretaria da Saúde – Superintendência de Vigilância em Saúde, tem a meta de vacinar 22.779 animais, entre cães e gatos, nas zonas urbana e rural. Como no ano passado, o Município vai começar a vacinação por bairros periféricos, de casa em casa, e também na zona rural.

Segundo a médica veterinária, Luciana Coelho Gomes, do Programa Municipal de Profilaxia da Raiva, os bairros mais afastados do centro começarão a receber a visita dos agentes de combate a endemias para vacinarem seus animais, bairros como Novo Horizonte, Ponte, Vila Azul, Costa Esmeralda, Xixebal, Nova Araguaína entre outros.

A médica veterinária explica que a vacina antirrábica não tem contra indicação. “Animais em tratamento de alguma doença, fêmeas prenhes ou amamentando, podem tomar a vacina sem nenhum problema; animais a partir de três meses de idade já podem ser vacinados”, informou.

O Dia D da campanha neste ano será no dia 18 de março e os postos de vacinação estarão instalados em pontos estratégicos em todo o município.

Para as pessoas que tiverem dúvida com relação à vacina podem entrar em contato com o CCZ por meio dos seguintes telefones: 0800 646 7020, 3415-5307 ou 3411-7040.

A doença

A raiva é uma zoonose neurológica que não tem cura, ou seja, o animal morre após adquirir a doença. Os sintomas da raiva são característicos e variam no animal e no ser humano. O animal geralmente apresenta dificuldade para engolir, salivação abundante, mudança de comportamento, mudança de hábitos alimentares e paralisia das patas traseiras.

Em Araguaína, há mais de 10 anos não registra nenhum caso nem em humanos e nem em animais (cães e gatos). A atenção maior é voltada pra cães e gatos por serem animais que convivem de forma mais estreita com humanos (animais de companhia).

Fonte: Portal Norte (com informações da Ascom Prefeitura)

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.