Artista tatua 40 mil cruzes no corpo pela defesa dos animais

Alfredo Meschi é um ativista que usa corpo como “performance artística permanente e manifesto político”.

6143
Fotos: Reprodução Instagram
Fotos: Reprodução Instagram

Alfredo Meschi, italiano e tatuador profissional, passou os últimos 30 anos a lutar pelos direitos dos animais. O artista de 51 anos resolveu tatuar 40 mil cruzes no corpo todo. Meshi diz que cada cruz simboliza um animal sacrificado pela sociedade. “Porque tenho 40 mil tatuagens? porque 40 mil animais não humanos são abatidos a cada segundo em todo o mundo, para satisfazer os nossos apetites”, justificou.

Alfredo vem de uma família de pescadores e caçadores, mas isso não o impediu de ter ideais completamente diferentes das dos seus entes queridos. Sempre foi vegetariano, mas tornou-se exclusivamente vegan há três. Mas há muito que luta pelos direitos dos animais, intitulando-se de “ativista vegan”. As tatuagens foram feitas com tinta vegan e com desinfetantes e produtos de limpeza ‘sem crueldade’.

A inspiração para todo este trabalho surgiu depois de Alfredo descobrir o ‘Poner el Cuerpo, Sacar la Voz’, um grupo de ativistas mexicanos que usam o corpo como meio de protesto contra o seu governo que está em conflito com narcotraficantes. O tatuador resolver seguir os passos deste grupo e usou o seu corpo como “performance artista permanente e manifesto político”.

“Nós vivemos numa sociedade construída em infinita e auto-infligida amnésia. É como se a nossa consciência de injustiça, compaixão e empatia fosse uma mudança que se ligasse e desligasse”, conta o defensor dos direitos dos animais.

“No início da minha carreira no ativismo, procurei uma maneira de resistir a essa amnésia, uma maneira de me recordar da minha luta a cada segundo. E a cada segundo, nem mais nem menos do que 40 mil animais são mortos com o único propósito de satisfazer o nosso apetite. Eu queria retratar isso e preserva-lo para sempre na minha pele”, acrescentou.

Meschi faz regularmente exposições de fotografia e performances em que usa o corpo tatuado para promover a sua causa.

Fonte: Correio da Manhã / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.