Associação de proteção a animais busca voluntários para retomar serviços em Governador Valadares, MG

Atividades foram suspensas no dia 29 de agosto e seguem sem data para reinício; grupo também precisa de doações e tem feito reuniões para conscientizar moradores.

253
Presidente da instituição, de pé, fala com pessoas interessadas em ingressar como voluntárias (Foto: Aprobem/Divulgação)
Presidente da instituição, de pé, fala com pessoas interessadas em ingressar como voluntárias (Foto: Aprobem/Divulgação)

A Associação de Proteção e Bem-Estar Animal (Aprobem), de Governador Valadares (MG), tem realizado campanhas e reuniões com moradores com o objetivo de conscientizar a necessidade da adesão de novos voluntários ao projeto, que suspendeu suas atividades no dia 26 de agosto devido a dificuldades enfrentadas pelo grupo; nos últimos 12 meses, a instituição calcula que foram realizados mais de 3 mil atendimentos a animais na cidade.

O anúncio da suspensão das atividades assistenciais aos animais foi divulgado pela direção da Aprobem nas redes sociais do projeto. Segundo o comunicado, apenas cinco voluntários estavam à frente do projeto, sobrecarregados com o serviço e a continuidade das ações. “Não estamos dando conta da demanda e isso causa estresse e descontentamento de quem só tem a nos para pedir socorro”, afirmava o comunicado.

No último sábado (9) a direção da Aprobem realizou uma reunião aberta para tentar a adesão de novos voluntários. Segundo a presidente da associação, Silvana Soares, são necessários aproximadamente 20 pessoas com disponibilidade para realizar os diversos trabalhos oferecidos, como recolhimento de animais feridos e/ou abandonados, feira de adoção, fiscalização de maus-tratos, lar temporário, entre outros.

“Fizemos uma reunião para atrair mais voluntários. Com essas pessoas (que participaram da reunião) vamos fazer mais uma no próximo sábado (16) para saber se essas pessoas estão preparadas, porque existe um processo, e não basta a pessoa querer, mas ela tem de saber como resgatar, se preparar, ou ajudar em outras áreas da associação, como eventos, lar temporário, buscar doações; tem várias maneiras de ajudar”, destaca.

Os novos voluntários devem passar por um treinamento, que os prepara tecnicamente e psicologicamente para o trabalho. A direção da associação considera que muitas pessoas têm a intenção de ajudar nas ações, mas, como o trabalho depende de muita dedicação, o treinamento deve ser feito com cuidado, afim de preservar a vida e o bem-estar dos animais.

Esta é a segunda vez em menos de dois anos que as atividades são paralisadas; em 2015, a Aprobem também teve suas ações interrompidas. Na época o serviço de recolhimento foi suspenso por falta de recursos, e o problema foi resolvido após uma campanha que arrecadou dinheiro para a manutenção da associação. Segundo Silvana Soares, a falta de apoio do poder público no auxílio dos serviços prestados pela associação ajuda a dificultar as ações do grupo.

“A demanda é muito grande; se não entrar novas pessoas, o município, bombeiros, vereadores e zoonoses no apoio das ações, e se as pessoas não perceberem que essa causa defendida é de todos, esse trabalho infelizmente não vai para a frente”, afirma a presidente da Aprobem.

Doações

A associação é custeada com recursos próprios, sem apoio de órgãos governamentais. As atividades que envolvem muitas vezes acompanhamento por parte de profissionais dependem de recursos que podem ser doados por pessoas interessadas.

“Sempre tem dívida. A medida que recebemos doações, através dos eventos, gastamos para pagar vários procedimentos, como cirurgia, internações; por isso doações são sempre bem-vindas para a manutenção do trabalho”, conclui Silvana.

Pelo site da Aprobem é possível realizar doações.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.