Foto: Divulgação

Atendimento no CCZ de Manaus (AM) é suspenso após remédios vencidos serem encontrados

O atendimento no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus, foi suspenso na manhã desta quinta-feira (8) após uma comissão de vereadores encontrar no estoque de medicamentos vencidos dentro do CCZ que seriam destinados ao tratamento e castração de animais domésticos na capital.

Conforme a vereadora Joana D’arc (PR), a visita ocorreu após donos de animais de estimação denunciarem complicações de saúde em pós-operatórios de castração e tratamentos no CCZ nos últimos seis meses. Ela relatou que durante a visita alguns REMÉDIOS no estoque estavam com validade vencida em 2014.

“A visita era para fiscalizar a ração de animais abrigados aqui no local, mas assim que chegamos ao estoque de remédios, podemos perceber o caos. São analgésicos, anestésicos e até remédios que podem reanimar o animal em caso de crise, que não foram utilizados ou foram comprados com a data fora da validade”, explicou.

Atualmente cerca de 60 animais são castrados no CCZ diariamente, conforme a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Após a constatação, o atendimento foi suspenso pela administração, inclusive nas unidades de castramóveis. “Nós avisamos a todas as pessoas que estavam esperando o atendimento do que estava acontecendo. Pedimos para que eles entrassem em contato conosco para que pudessem agendar um novo atendimento em outra clínica”, afirmou.

Quem reclamou foi a dona de casa Rosana Leal, 33, que esperou três meses para conseguir marcar o atendimento e castrar a cadela Maria Eduarda, de 6 meses. Decepção e preocupação foram as palavras mais usadas pela população que foi prejudicada no CCZ. “Eu fiquei aliviada em minha cachorra não ter se castrado com medicamentos que podem estar vencidos, porém é triste ver que muitos desses bichinhos não tiveram a mesma sorte que eu”, disse.

A veterinária Mariana Oliveira acompanhou a visita da comissão de vereadores e atestou que os procedimentos eram realizados com medicamentos vencidos. “A administração chegou a dizer para nós que o estoque que estávamos verificando já estava separado para descarte, no entanto, nós perguntamos sobre os medicamentos que eram usados. Quando vimos o estoque, a mesma situação: remédios vencidos em 2014, 2015 e 2016”, disse.

Mariana Oliveira ainda explicou sobre os riscos de medicamentos utilizados de maneira incorreta. “O Cloridrato de lidocaína, é um anestésico que age por meio do bloqueio da condução do impulso nervoso, caso um remédio desses esteja fora da validade pode comprometer de modo severo a saúde do bicho de estimação”, afirmou.

Por Danilo Alves 

Fonte: A Critica 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *