Ativistas cobram da Prefeitura de São Luís (MA) medidas em defesa dos animais

Gatos foram encontrados na Avenida dos Africanos, em São Luís. Ataques com requintes de crueldade chamaram atenção de ONGs.

1436

As ONGs que atuam em defesa dos animais em São Luís se reuniram com a secretária municipal de Saúde, Helena Dualibe, nesta sexta-feira (25), para cobrar medidas de amparo aos gatos abandonados pelos tutores nas ruas da capital maranhense.

Os ativistas cobram do município cuidado com os animais abandonados nas ruas. A reunião aconteceu depois que mais de 30 gatos foram mortos em uma praça, às margens do rio das bicas, no bairro da Areinha.

Contudo, não é a primeira vez que são registrados ataques aos animais. Ano passado, setenta gatos foram envenenados. Entre os encaminhamentos está o envio de uma comunicação ao Ministério Público para a definição de responsabilidades sobre posse e guarda dos animais que hoje vivem em situação de rua por São Luís.

Ficou acertado que a Secretaria de Segurança Pública vai ser acionada, segundo afirmou a secretária Helena Dualibe.”“Nós vamos agendar uma reunião com a Secretaria de Segurança do Estado porque a colocação de câmeras nesse local é uma dependência da Secretaria de Segurança e também solicitar uma reunião com o Ministério Público aonde nós já temos reuniões anteriores para que a gente defina esse espaço” disse a secretária.

A matança ocorreu na madrugada de quarta-feira, e revoltou até quem não atua na causa. No local, muitos são abandonados pelos donos e têm água e alimento graças à ajuda de voluntários e doações. “Não pode chegar e sair matando os animais a toro e a direita. É crime isso também. E nenhum veterinário em seu oficio vai se dispor a fazer a eutanásia de um animal sem uma comprovação clinica. Então, o poder público é o responsável por isso“ afirmou a voluntária no projeto Dindas Formiguinha, Verônica Tavares.

Defensores criticam a falta de legislação municipal e estadual voltada para os animais abandonados.“Em termo de município de São Luís, não existe uma legislação especifica definindo a responsabilidade do município “ afirmou o presidente da Associação Maranhense em Defesa dos Animais (Amada), Leandro Alvim.

De acordo com o artigo 32 da Lei dos Crimes Ambientais N° 9.605/98 praticar abuso e maus tratos contra animais domésticos ou domesticados é crime e prevê prisão de três meses a um ano, além do pagamento de multa. Se houver a morte do animal, a pena pode aumentar de um sexto a um terço.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.