Ativistas dos direitos dos animais ganham luta contra venda de armas de ar comprimido

Uma luta de uma década e meia dos ativistas dos direitos dos animais finalmente deu resultados conforme o governo ordenou que a venda de armas de ar será feita somente através de um vendedor de armas licenciado.
Os ativistas vinham fazendo uma campanha contra a venda sem restrição de armas de ar, alegando que estas estavam sendo usadas contra aves, esquilos ou cães, e uma petição foi feita para que o governo restrinja sua venda.

O movimento para restringir a venda de armas de chumbinho ou de pressão de ar foi feita após campanha realizada pelos ativistas dos direitos dos animais e por recomendação do Animal Welfare Board of India (AWBI – Comissão pelo Bem-Estar Animal da Índia).

De acordo com uma notificação publicada algumas semanas atrás, a venda e a transferência de armas de pressão só podem ser feitas através de um vendedor de armas licenciado. Antes, essas armas podiam ser facilmente encontradas em lojas de brinquedos.

A recente notificação diz que “a venda, transferência e manutenção em estoque para venda ou transferência de todos os tipos de armas de ar comprimido, incluindo rifles, revólver e armas e munição de paintball, independentemente da energia, calibre ou orifício, deve ser feita somente através de vendedores autorizados de armas e munições ou vendedores licenciados de armas de ar comprimido em conformidade com essas normas”.

Uma arma de ar comprimido que libera energia menor que 20 joules pode ser vendida somente com uma identificação e comprovante de residência do comprador, e armas que liberam mais de 20 joules deverão ser vendidas somente através de um vendedor autorizado de armas e munições para uma pessoa que tenha autorização apropriada para porte de armas.

Uma arma de ar comprimido que libere dois joules de energia pode matar uma ave, cinco joules de energia pode matar um macaco e 20 joules pode matar um ser humano.

Ao fazer seu apelo para o Ministro do Interior, a AWBI disse que as armas de ar comprimido, pistolas de ar comprimido ou compressores de ar adquiridos sem licença podem afetar negativamente os animais.

A ativista dos direitos dos animais Gauri Maulekhi, do People For Animals (PFA – Pessoas Pelos Animais), uma organização que tem liderado uma campanha pela proibição da venda sem restrições das armas de ar, disse que sua organização recebeu centenas de denúncias sobre o uso indevido dessas armas.

“A PFA recebeu centenas de queixas de pessoas sobre como seus vizinhos estavam atirando contra cães de rua e como as crianças estavam praticando tiro ao alvo em aves e outros animais”.

“Para nós isso sugeriu uma tendência que nos levou a fazer uma consulta às partes interessadas, e então nós decidimos que deveria haver algum tipo de restrição”, ela disse. A
PFA primeiro foi ao Supremo Tribunal de Delhi em 2000 pedindo uma proibição da venda sem restrição de armas, pistolas e rifles de ar comprimido, e conseguiu uma ordem favorável em 2002.

Entretanto, a ordem foi desafiada pela Associação Nacional de Rifles da Índia e pela Associação dos Fabricantes de Armas, Rifles, Pistolas e Chumbinhos de Brinquedo no Supremo Tribunal, que suspendeu o veredito do supremo tribunal e fez com que os ativistas tivessem que abordar o governo novamente.

“Nós dissemos a eles que uma arma de chumbinho pode matar e essa arma será usada em aves, esquilos ou cães. Está criando um completo vício. Ou você as licencia, ou você as proíbe”, Maulekhi disse, e expressou sua felicidade pela norma do governo que entrou em vigor no fim de julho deste ano.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.