Ativistas salvam mais de 135 cães de matadouros em Yulin, mas muitos outros ainda precisam de sua ajuda!

Ativistas salvam mais de 135 cães de matadouros em Yulin, mas muitos outros ainda precisam de sua ajuda!

Em 2010, algo horrível aconteceu na região de Guangxi, na China. Indivíduos sem coração começaram a juntar cães e gatos de rua e a roubar os animais amados de seus quintais. Estes animais inocentes, que chegam aos milhares, eram levados aos matadouros, onde os torturavam e agrediam até a morte, e então os vendiam como carne em restaurantes e mercados.

Contentes com os lucros que fizeram com esses atos cruéis tão perturbadores, os comerciantes de cães decidiram estabelecer um abate em massa de cães e gatos como uma tradição anual chinesa. Conhecido como Festival de Carne de Cachorro Yulin, este ritual perverso agora acontece em junho, nas semanas que antecedem o solstício de verão.

Felizmente, a revolta pública contra o “festival” levou organizações como a Humane Society International (HSI) a entrarem em ação e fazerem tudo o que podem para salvar os animais em Yulin de serem agredidos e mortos de maneira insensível. Graças aos esforços abnegados de ativistas dos animais, o número de cães abatidos durante esse evento bizarro caiu de mais de 10.000 para cerca de 1.000. Mas, enquanto ao menos um animal ainda for sujeitado a esta tortura inimaginável em Yulin, ainda há trabalho a ser feito.

Recentemente, ativistas chineses que trabalham junto com a HSI há anos conseguiram a libertação de um total de 135 cães de três diferentes matadouros em Yulin. Ao entrarem em uma dessas instalações para resgatar os pobres animais, os ativistas testemunharam uma cena chocante: dezenas de cães emaciados e aterrorizados se encolhiam em um quarto imundo, havia sangue no chão do abate que tinha ocorrido naquela manhã, e um homem agredia sem cessar um cão na cabeça com um porrete.

Allen, um dos ativistas chineses, relatou ao HSI que o que ele viu irá “assombrá-lo durante meses”.

Felizmente, os voluntários conseguiram resgatar desse pesadelo todos os cães que encontraram e os levaram a um abrigo temporário para receberem comida, água e atendimento veterinário emergencial que tanto precisavam.

Três cachorras estavam prenhes e, pouco tempo depois de terem chegado ao abrigo, deram à luz seus filhotes.

Fotos: Humane Society International/Facebook

Todos os 135 cães, mais os filhotinhos recém-nascidos, foram levados a abrigos permanentes em outras partes da China, onde eles agora recebem os cuidado de alto nível que tanto precisam para se recuperarem por completo. Desses cães, 65 foram transportados para um abrigo apoiado pela HSI no norte da China.

Felizmente, esses cães se salvaram de um destino horrível que muitos outros sofreram como resultado do Festival de Carne de Cachorro de Yulin. Se você concorda que a China deveria colocar um fim a esta tradição brutal para que não se torture e mate nenhum cão pelo lucro humano, assine esta petição no site Care2 que pede ao presidente chinês Xi Jinping para proibir o festival.

Se você quiser apoiar o trabalho de salvar vidas da HSI, considere fazer uma doação para esta incrível organização. Juntos, podemos erguer nossa voz pelos animais inocentes que são submetidos à crueldade inconcebível e garantir um futuro feliz e saudável para eles.

Por Estelle Rayburn / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: One Green Planet

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.