Animais feriram três pessoas e danificaram veículos em Alta Floresta do Oeste. (Foto: Reprodução)

Boi escapa de caminhão e é abatido pela Polícia Ambiental em Alta Floresta do Oeste, RO

Cinco pessoas foram vítimas de um boi e uma novilha, que conseguiram escapar de um caminhão e causar transtornos na área central de Alta Floresta do Oeste (RO), município da Zona da Mata. O caso aconteceu na terça-feira (24). Ao todo, três pessoas ficaram feridas e precisaram de atendimento médico. O boi foi abatido pela Polícia Ambiental, pois apresentava risco à população. A ocorrência foi registrada na Delegacia de Polícia da cidade.

Quando chegaram ao local indicado pelas vítimas, os policiais encontraram a novilha já contida pelos peões, em um pasto com cerca. Em seguida saíram à procura do boi. Em contato com o responsável pelos animais, um homem, de 59 anos, ele contou que estavam na gaiola do caminhão boiadeiro, sendo transportados ao frigorífico.

Contou ainda que na Avenida Nilo Peçanha, o boi deu uma cabeçada na porta do veículo, o que estourou a gaiola. Ambos conseguiram fugir. O boi subiu pela Avenida Rondônia e próximo ao mercado atingiu um idoso, de 79 anos, que caminhava pelo local. Ele sofreu escoriações na perna, no braço, no cotovelo e no pé direito.

O animal, então, seguiu pela Avenida Rio de Janeiro, onde deu uma cabeçada no lado direito de um carro. Em seguida, o boi atingiu uma motocicleta, quebrando o velocímetro, a maçaneta, o retrovisor e a carenagem traseira.

A motocicleta estava sendo conduzida por uma mulher, de 36 anos, que teve escoriações nos braços e nas pernas. Ainda na mesma avenida, o boi atingiu outra motocicleta e quebrou a maçaneta, para-lama dianteiro, carenagem e caixa de chave. Um homem, de 49 anos, dirigia o veículo. Ele teve uma lesão no pé e precisou ir até o hospital local.

O boi ainda atingiu uma motocicleta estacionada, entortou o guidom, amassou o tanque e quebrou a carenagem do lado esquerdo. Já na Avenida Brasil, o animal atingiu a traseira de um carro que estava estacionado.

Devida a complexidade da situação, foi necessário o apoio da seção administrativa e da guarnição da Polícia Ambiental local. Em contato com o responsável pelos animais e o técnico da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), foi autorizado o abate do animal que estava estressado e apresentava riscos à população.

Foram precisos três disparos de calibre 556 e quatro de calibre 762. Porém, mesmo atingido, o animal caiu ao solo e não morreu. Foi necessário amarrá-lo e levá-lo de trator até o frigorífico. Todos os tiros foram executados pela Polícia Militar Ambiental.

Por Magda Oliveira

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: “Morreu na contramão atrapalhando o tráfego”. Lamentável que, mesmo diante da morte do animal, a preocupação seja com “os transtornos” causados. O boi foi friamente abatido pela polícia, comumente despreparada e desaparelhada para efetuar resgates de animais deste porte. Triste que pessoas tenham se ferido durante a tentativa desesperada do animal de escapar de seus algozes, ele que acabou sendo a única vítima fatal. O boi fugiu do caminhão, mas não escapou dos atiradores, do frigorífico e do prato de quem financia todo esse sofrimento.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.