Bope é chamado para conter farra do boi em Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis, SC

1200
Bope é chamado para conter farra do boi em Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis, SC
Foto: Divulgação / Hora de Santa Catarina

O registro de mais uma ocorrência de farra do boi em Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis, chamou a atenção no sábado que antecedeu a Páscoa. A Polícia Militar precisou pedir apoio ao Batalhão de Operações Especiais (Bope) para conter cerca de 150 moradores da comunidade Gancho do Meio que supostamente participavam da farra.

O comandante da Polícia Militar da região, Araújo Gomes, publicou em seu perfil do Facebook que os policiais foram hostilizados já na chegada ao local. Farristas arremessavam objetos contra os militares que foram conter a prática ilegal. Viatura e equipamentos teriam sido atingidos, informou o comandante pelas redes sociais.

O animal, encontrado em um matagal, estava bastante cansado e não conseguiu nem sequer subir no caminhão. O coletivo Brasil Contra a Farra do Boi — que pretende conscientizar a população sobre a proibição da prática ilegal — acompanhou a PM nos deslocamentos e procurou apoio na Justiça para a segurança do animal usado na farra.

Na madrugada deste domingo, o juiz de Biguaçu, Welton Rübenich, assinou uma decisão que proibia o abate do boi, conforme orientação da Cidasc, e assinalou a responsabilidade do animal à Comissão de Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São José. Segundo informações do coletivo protetor de animais, o animal foi levado para um lar temporário.

Segundo membros do coletivo, que não podem ser identificados, cerca de 30 ocorrências de farra do boi foram evitadas em Governador Celso Ramos por conta de denúncias. Mas mesmo assim, somente neste fim de semana, ocorreram cerca de dez farras na cidade, enumera o coletivo.

Os números oficiais e as ocorrências da farra do boi em Santa Catarina serão divulgados nesta segunda-feira pela Polícia Militar.

Fonte: Diário Catarinense 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.