Filhote de elefante em Okavango Delta, Botswana - 25/04/2018 (Mike Hutchings/File Photo/Reuters)

Botswana está prestes a legalizar as caçadas de elefantes

Lar da maior população de elefantes do mundo, Botswana está prestes a regularizar a caça recreativa desses grandes mamíferos. A medida, que já foi aprovada pelo Parlamento, está provocando protestos de grupos de proteção animal. O governo alega haver um conflito crescente entre humanos e animais selvagens no país, informou a imprensa local nesta segunda-feira (16).

Conservacionistas estimam que o país do sul da África tenha cerca de 130.000 elefantes vivendo na natureza, o que representa quase um terço da população desses animais em todo o continente.

O governo, por outro lado, diz que o número está mais próximo de 230.000 e que os animais estão causando problemas para os pequenos agricultores. Segundo as autoridades locais, o rendimento das culturas de milho no distrito de Chobe, onde fica a principal área de preservação, caiu 72% depois com as invasões de manadas em plantações.

O projeto de lei vai na contramão dos esforços internacionais para salvar os elefantes que são liderados, principalmente, por ONGs britânicas. Essas entidades querem tornar mais rígidas as leis contra a comercialização do marfim, presente nas presas desses animais.

A grande concentração de elefantes em Botswana aconteceu devido, principalmente, à perseguição e à migração desses animais nos países vizinhos, como Namíbia e Angola. Nesses territórios, o crescimento das cidades e o avanço das áreas ocupadas por humanos reduziram drasticamente o habitat dos mamíferos gigantes.

Dentro de Botswana, a proteção legal e a presença de uma força-tarefa militar para defender as manadas dos caçadores ajudaram a preservar a espécie, transformando o país em um dos principais destinos turísticos para fazer safáris da vida selvagem.

Fonte: Veja

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.