Cachorra idosa e com tumor é espancada e morta na Argentina – Olhar Animal
O corpo sem vida da cachorra morta por maus-tratos.

Cachorra idosa e com tumor é espancada e morta na Argentina

A associação protetora de animais Corazones Callejeros de Rosario de la Frontera, na Argentina, denunciou a tortura e o assassinato de uma cadela da raça labrador no bairro El Huaipo.

O grupo publicou em seu Facebook o caso monstruoso, que causou uma grande indignação entre os vizinhos do sul da província.

Ela se chamava Trixi, estava doente porque tinha um tumor e, de acordo com as protetoras e sua tutora, tinha saído de sua casa para morrer.

Mas teve um final antecipado nas mãos de pessoas implacáveis que a pegaram, amarraram suas patas com cadarços, a golpearam e a jogaram de um lado para o outro, por diversão, em um feito monstruoso e completamente repudiável.

O caso ocorreu no dia 25 de maio. Membros da associação receberam um pedido de ajuda por parte de vizinhos da região de “El Huaipo”, que alertaram sobre um animal em estado de agonia.

Um quadro terrível

“Ao chegar ao local, os membros da organização encontram com um quadro terrível de maus-tratos a animal. Era uma cachorra da raça labrador, adulta, com características de violência extrema. O animalzinho agonizante se encontrava com suas patas amarradas com cadarços e cabos e tinha sido golpeado”, informou a organização.

Lamentavelmente, os membros da associação protetora chegaram muito tarde e nada puderam fazer por ela. Estava já em seus últimos minutos de vida.

“Percebeu-se que a labradora tinha uma coleira verde antipulgas e, quando a levantaram, sentiram que até perfume tinha. Isso deu a entender que talvez esse pobre animal tivesse tutores que a amavam muito. Foi assim que a Corazones Callejeros realizou a denúncia correspondente e começou a investigação para encontrar o responsável por um ato tão cruel”, a organização destacou.

Crueldade animal

“A cachorra estava agonizando porque foi golpeada. Amarraram-na e, com certeza, a levantaram e jogaram várias vezes. Conseguimos entrar em contato com a tutora e nos disse que ela tinha um tumor no olho, o que pensamos no princípio que fosse um golpe. Inclusive, estava sendo atendida por uma veterinária”, disse ao El Tribuno uma das integrantes da associação.

“A cachorra tinha doze anos, estava perdida e a tutora estava à sua procura. Parece que viram que ela estava doente e por isso a agarraram, mas ainda não entendemos como alguém pode ser tão cruel com um animal indefeso”, disse a integrante.

Estava perdida há três dias

Ela estava perdida há três dias. A associação procurou um veterinário para atendê-la, mas era feriado e não havia nenhum disponível.

“Causou-me uma dor enorme quando levantei a cachorra, que estava agonizando e logo morreu em meus braços. Mas a denúncia foi feita na Delegacia 31 para que este caso seja investigado”, disse.

A Corazones Callejeros foi criada em fevereiro deste ano e tem 29 integrantes que trabalham para proteger aos animais.

O que diz a Lei 14.346

A Lei Nacional 14.346, incluída no Código Penal, estabelece que será sancionada com prisão de quinze dias a um ano a pessoa que infringir maus-tratos ou vitimar animais com atos de crueldade.

Destaca que serão considerados atos de maus-tratos: não alimentar em quantidade ou qualidade suficiente aos animais domésticos ou cativos; forçá-los ao trabalho mediante instrumentos que, não sendo de estímulo simples, provoquem castigos desnecessários ou sensações dolorosas e fazê-los trabalhar em jornadas excessivas sem proporcionar descanso adequado, conforme as estações climáticas. Além disso, empregá-los no trabalho quando não estejam em estado físico adequado, estimulá-los com drogas sem fins terapêuticos, entre outros. Por outro lado, a lei sinaliza que serão considerados atos de crueldade: praticar a vivissecção, mutilar qualquer parte do corpo, etc.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: El Tribuno

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.