Cão aguarda tutor em estrada de terra. Homem morreu há duas semanas depois se ser agredido durante assalto - Lourdes Brito / Arquivo Pessoal

Cachorro aguarda retorno do tutor que morreu há duas semanas em Auriflama, SP

Um caso que chamou a atenção dos moradores de Auriflama e que até parece cena de filme, mas é realidade: um cão fica esperando o retorno de seu tutor que morreu assassinado na cidade.

A história do animal chamado Danadinho foi publicada por Lourdes Brito, que é presidente de uma Associação de Proteção e Amparo Animal, comovendo os internautas. O tutor do cão, Ituo Sugimoto, de 67 anos, popularmente conhecido como Japonês, morreu no último dia 30 de julho.

Na ocasião, o aposentado foi assaltado e agredido por bandidos, sendo encontrado caído com diversos ferimentos pelo corpo. Ele foi socorrido no dia 17 de julho, chegou a ficar internado, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no final do mês.

Lourdes contou ao Diário que resolveu publicar a história após perceber que o cachorro continuava esperando pelo tutor na estrada de terra. “O Japonês vinha todo dia para cidade e o cachorro sempre o acompanhava e o dono o fazia voltar. o Danadinho ficava esperando na estrada de terra a volta do dono”.

“Como é o caminho que eu faço para ir para cidade, sempre via a cena deles seguindo juntos para casa (homem e animal), mas depois da morte do tutor, percebi que ele continua esperando. É uma história muito triste” completou Brito.

A presidente de uma associação de proteção animal na cidade contou que o cão está sendo tratado por um vizinho, mas o companheirismo de esperar pelo tutor continua mesmo depois da morte do homem. “Como explicar que seu dono tão amado não voltará?” escreveu Lourdes nas redes sociais.

História parecida

Em março, uma história parecida foi registrada em Novo Horizonte. Um cãozinho ficava esperando seu tutor na porta da Santa Casa da cidade, o animal estava há quatro meses à espera de seu tutor que havia sido socorrido e levado para hospital, mas que já havia morrido.

O tutor do cão morreu no dia 31 de outubro de 2017, após uma briga de rua. O crime foi em uma praça da cidade. Na época, após uma discussão, um homem desferiu golpes de faca contra o tutor do animal, que foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. De acordo com a equipe de resgate, o animal acompanhou os bombeiros, continuando na portaria mesmo após o seu tutor morrer.

Na história de cumplicidade, o cão chegou a ser levado para uma canil da cidade, mas o amor falou mais alto e ele fugiu. O animal caminhou mais de três quilômetros até chegar novamente ao hospital. Depois da história, ser amplamente divulgada nas redes sociais, o cão foi adotado e ganhou o nome de Campeão.

(Colaborou Rone Carvalho)

Fonte: Diário da Região

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.