SP marilia caosemmaxilar 1

Cachorro sem o maxilar é adotado e recebe cuidados de novo tutor, em Marília, SP

Cão perdeu a mandíbula após uma cirurgia por falta de higiene bucal. Morador de Marília ‘adotou’ animal que se tornou seu companheiro.

O Teves é um cão muito amado, mas que a falta de cuidados com a higiene bucal após uma cirurgia acabou fazendo com que ele perdesse a mandíbula. Apesar disso, ele vive bem graças ao cuidado e o amor do novo tutor, um morador de Marília (SP). “O Teves é um companheirão. Tem o jeitão dele, faz carinho, não dá trabalho nenhum”, afirma o aposentado Anízio Soares.

Mas a história desse cãozinho também vale como um alerta de cuidado com a limpeza dos dentes dos animaizinhos aos donos. Anízio adotou o Teves há pouco mais de um ano. O cachorro era do primo dele que se mudou para os Estados Unidos a trabalho. O aposentado topou ficar com o bichinho, mas não imaginava que o cuidado seria tão grande.

Com o antigo tutor, Teves precisou fazer uma cirurgia no maxilar e durante a recuperação ele teve uma infecção na boca, não foi possível o tratamento e o único jeito dele sobreviver foi tirando a mandíbula. “Pelo relato do tutor, o animal ao brigar com outro, na mordida acabou fraturando. Então provavelmente essa fratura foi por causa dessa infecção na boca, ocasionada pelo excesso de tártaro. É uma infecção muito comum nos animais que fragiliza tanto os dentes, quanto gengiva e o tecido ósseo da mandíbula”, explica o médico veterinário Danilo Tozzetti.

SP marilia caosemmaxilar 2

Anízio pensou que ele não sobreviveria. “Eu nunca tinha visto isso, mas quando ele teve alta, eu o trouxe para casa. O médico passou o que a gente tinha que fazer, eu fiz a ração para ele tudo certinho, eu coloquei ai ele já foi direto ao prato e comeu certinho, foi um alívio. Ele é uma benção.

O aposentado teve que se adaptar para cuidar do cão. Nada de encher o pote de ração ou dar comida para o Teves. O alimento dele é uma papinha duas vezes por dia. A ração é triturada no liquidificador e depois dissolvida na água. “Acho que se a gente ficar em uma cama sempre vai ter alguém para tratar da gente e é a mesma coisa com ele. A única diferença é que ele não sabe pedir, a gente tem que fazer pra ele, mas não é cansativo”, afirma.

O veterinário explica que o cachorro não sente falta de mastigar, não sente dor, que é saudável e tem qualidade de vida mesmo sem a parte de baixo da boca. “Qualidade de vida é o animal não sentir dor, conseguir fazer suas necessidades básicas e se alimentar.”

Segundo o veterinário, a retirada definitiva da mandíbula poderia ter sido evitada se o Teves tivesse os dentes saudáveis. Ele ainda diz que o indicado é levar o cachorro pelo menos uma vez por ano ao veterinário para uma avaliação geral e limpeza nos dentes. Principalmente os animais com mais de quatro anos, já que depois dessa idade o dente costuma acumular mais tártaro que pode gerar uma inflamação grave e outras doenças.

Assista ao vídeo clicando aqui.

SP marilia caosemmaxilar 3

Fonte: G1

MAIS NOTICIAS

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.