Após nascimento dos filhotes, cadela que abocanhou rojão recebeu mais cuidados (Foto: ONG Meu Amigo Cão/Divulgação)

Cadela que teve boca queimada por rojão dá à luz três filhotes e volta a se alimentar, em Ipatinga, MG

Exames e tratamento adequado não pode ser feito nos primeiros dias porque ela estava prenha; com o nascimento dos filhotes, cuidados foram redobrados e ela apresenta melhoras.

A cadela que foi internada depois ficar ferida por fogos de artifício voltou a se alimentar e está se recuperando após ter dá à luz três filhotinhos. No dia do incidente, não foi possível avaliar os ferimentos porque ela estava prenha. Só após os filhotes nascerem, a mamãe pode receber os devidos cuidados.

“Ela teve queimaduras na boca que não estavam permitindo que ela se alimentasse. Ela ainda tem as queimaduras, mas já diminuíram e ela passou a comer três dias depois do parto. Existe uma pequena suspeita que ela pode ter tido alguma lesão visual na hora que a pólvora estourou, mas isso ainda tá sendo avaliado”, explica a protetora Shara Regina Silva, vice-presidente da ONG Meu Amigo Cão.

Como a ONG sobrevive de doações, todo o tratamento do animal é custeado por meio da ajuda da comunidade. A vice-presidente conta que já foram recebidas várias doações.“Muita gente de fora viu a história e se comoveu. Aqui da região recebemos poucas doações. É importante o apoio da comunidade porque tratamos de vários animais”, explica.

Cadela ainda tem queimaduras na boca, mas já consegue se alimentar (Foto: ONG Meu Amigo Cão/Divulgação)
Cadela ainda tem queimaduras na boca, mas já consegue se alimentar (Foto: ONG Meu Amigo Cão/Divulgação)

Shara Regina aponta este caso como um exemplo da importância de adotar, pois os animais sem dono ficam sujeitos a diversos riscos. As queimaduras sofridas pela cadela aconteceram porque ela acreditou que o rojão jogado no chão pudesse ser comida, uma vez que moradores da rua em que ela estava faziam churrasco após o jogo do Brasil na Copa do Mundo.

“A raiz do problema é o animal estar na rua, sem nenhuma referência, sem uma família e aí estando na rua ele está exposto a diversos problemas. Por que ela abocanhou esse rojão? A gente tem que tentar entender esse comportamento dela. Animal de rua fica perto de um churrasquinho, de uma lanchonete, observa a pessoa que está comendo. Se vem um pedaço mais gorduroso ou duro, a pessoa joga fora e o cachorro pega. E foi isso que aconteceu, jogaram o rojão e ela abocanhou pensando que fosse pedaço de carne”, afirma a protetora.

Após os dias de sofrimento, a ONG está empenhada em proporcionar um final feliz para toda a família. “Os três filhotes já possuem candidatos à adoção. São pessoas boas, comprometidas e a gente faz a entrevista. Não podemos permitir que o filhote repita a história da mãe, que estava há anos abandonada nas ruas. Eles serão vacinados e a gente entrega com o compromisso de realizar a castração. Fazemos termo de adoção, temos todo um protocolo para assegurar que esses animais terão realmente um lar seguro e com amor”.

Por Zana Ferreira, Vales de Minas Gerais

Fonte: G1

Cadela de rua fica ferida com fogos de artifício em Ipatinga, MG

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.