Cães, antas, veados, galinhas e cavalo são acolhidos, amados e têm nomes em santuário no MT

Cães, antas, veados, galinhas e cavalo são acolhidos, amados e têm nomes em santuário no Mato Grosso

Feridos, agredidos, doentes, abandonados, os animais chegam em condições precárias. Muitos deles são encaminhados por órgãos ambientais ou de proteção animal.  Acolhidos e tratados, alguns morrem, mas outros resistem e se juntam às gigantes Maia e Guida. Na rotina sossegada,  ficam circulando na reserva, aproveitando daquela natureza bonita e da paz do lugar, tiram sonecas, interagem.

Santuário de Elefantes na Chapada -Scott é apaixonado pela cadela que adotou, a Molie, abandonada pelo antigo dono da fazenda.

São seis cachorros no santuário. Goomba, por exemplo, é macho, e Maggie, fêmea.  Vieram dos EUA e este já é o segundo santuário em que moram, além de um no Tennessee. Foram trazidos pelo responsável pela reserva Scott Blais e a mulher dele, a técnica veterinária Kat Blais, que têm mais de 20 anos de experiência em resgate e reabilitação de animais selvagens – seis deles só com elefantes. Ela atua na causa divulgando o projeto pela internet, mundo a fora, e fazendo campanhas para ampliar as doações solidárias.

Outras duas cadelas que circulam entre as elefantas são Molly e Minnie.  Moravam na fazenda do santuário com o caseiro do antigo dono e foram deixadas lá quando ele se mudou. “Eram ariscas, quase não tinham contato com gente. Scott e Kat adotaram as duas e hoje elas dormem dentro de casa toda noite e, de dia, são guardiãs ferozes da Maia e da Guida”, conta a assistente administrativo do santuário, Cassia Motta.

Cadela Minnie e galinha Lilly dividem cama tirando uma soneca.

Bugsy é macho. Era um filhote abandonado na estrada perto da fazenda do santuário, quando resgatado. Em péssimas condições, foi adotado, tratado e hoje é um fiel companheiro de todos no local.

Os cães são vira-latas, castrados e vacinados.

Para lá e para cá, vivem no santuário também os gatos Saffron, que é fêmea, e Bodhi, macho. Foram deixados na porta da casa do Scott e da Kat em Guarantã do Norte, quando ainda estavam morando lá, procurando fazenda para comprar. O Santuário, a princípio, seria instalado em Guarantã.

O cavalo Frederick já é idoso. Foi deixado no santuário pelo antigo dono. Scott e Kat o adotaram, trataram e não aceitam que seja mais utilizado para puxar carga. “Hello, friend”, diz Scott, ao passar por ele, se referindo ao amigo. Ali, cavalo não é meio de transporte. Os funcionários andam pela fazenda a pé, de carro ou de quadriciclo, mas não montados nele.

Só de antas, quatro já foram reabilitadas no santuário e soltas de volta na natureza. Porém uma delas, chamada Alma, por causa dos problemas de visão e neurológicos, nunca poderá ser reintroduzida como os outros. O nome dela foi escolhido através de campanha pelo site do santuário. Ela sofreu agressões, daí os problemas de saúde.

Último a chegar na reserva é veado filhote. Nome dele ainda não foi escolhido. Deve ser lançada campanha para isso.

Enquanto Guida e Maia comem feno, perto das grades transita o galo cego Bibi. Também foi deixado na fazenda pelo antigo dono, assim como as demais aves. Meses depois, o dono voltou para buscá-lo mas já era tarde demais. Scott e Kat já tinham se afeiçoado a todos eles e não gostaram nenhum pouco da ideia de entregá-los para que virassem comida. Por um preço amigável, fizeram negócio e os animais ficaram.

As galinhas, como Lilly e Giba, são chamadas por Kat como se fossem animais domésticos. Entram na casa do casal, sobem no colo, como os demais bichos, têm nome, parecem muito à vontade.

O último a chegar na reserva é um veado filhote. A mãe dele foi atropelada e ele estava sendo criado por um casal em uma chácara próxima à Salgadeira. “Um dos nossos voluntários visitou a chácara e percebendo que o casal precisava de ajuda para oferecer melhores condições ao animal, entrou em contato com o santuário”, explica Cassia. “Fizemos o resgate dele, comunicamos à Sema (Secretaria de Estado de Meio Ambiente) e hoje ele está sendo reabilitado pelos veterinários da reserva para, em breve, ser reintroduzido na natureza”.

Santuário de Elefantes na Chapada – Galinha dorme em casa, no sofá e até mesmo dentro do carro da reserva.
Santuário de Elefantes na Chapada – Scott e Kat tratando da Maia, sempre atrás da grade de proteção.
Santuário de Elefantes na Chapada – Bugsy tirando uma soneca na casa de Scott e Kat, seus amigos.
Santuário de Elefantes na Chapada – Frederick passeando pelo novo galpão que está sendo estruturado para receber 8 novos elefantes.
Santuário de Elefantes na Chapada – Frederick não puxa carga porque para seus amigos ele não é meio de transporte.
Santuário de Elefantes na Chapada – Cavalo Frederick sendo alimentado pelo seu amigo Scott no início da manhã. (Fotos: GSE)

Por Keka Werneck

Fonte: RD News

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.