Cães de Mogi (SP) são cuidados de forma comunitária; vereadora quer fomentar a atividade na cidade

Cães de Mogi (SP) são cuidados de forma comunitária; vereadora quer fomentar a atividade na cidade

Um cão que vive em uma Centro de Compras de Mogi das Cruzes conquistou o carinho de um monte de gente e é cuidado de forma comunitária: cada um contribui como pode para manter o cachorro. No Estado já existe até legislação para isso e uma vereadora defensora da causa quer implantar equipamentos na cidade para ajudar na alimentação desses pets.

Vídeo: Projeto ‘cães comunitários’ conquista famílias e comerciantes do Alto Tietê.

Por ter vários donos, o cãozinho de Mogi recebe vários nomes. Tem Negão, Skoob e até Henrique. A veterinária Flavia Casine diz que o cão está no local há pelo menos um ano e ela prefere chamá-lo de Skoob. “As crianças brincam com ele, as pessoas alimentam, ele toma banho e até recebe vacina”, conta.

Lucas Henrique da Silva Barbosa é gerente de um pet shop e conta que na hora de dar a ração, o cão fica sempre por perto. Mas é levar ele para tomar banho, que o bichinho corre. “Tem gente que chama ele de Henrique, mas a gente chama de Skoob. Ele sabe que quando eu venho chamar ele, é para o banho, mas ele não gosta muito”, diz.

No Estado de São Paulo uma lei que define a existência de cão comunitário. A vereadora Fernanda Moreno explica que esta legislação existe de 2008.

“É importante que a população conheça e entre em contato com a Secretaria de Saúde, que é responsável pelo cão de rua, para que este animal seja castrado e volte ao local dele, com a garantia de saúde”, diz.

Na TV Diário também tem o cão Marrom. Todos os dias, por volta das 18h, ele vai até a sede da emissora e recebe comida e carinho.

Para ajudar ainda mais estes animais, a vereadora pretende implantar um sistema em locais públicos de Mogi para que os cães possam se alimentar. “Tem muitos cães que passam pela rua, que têm sede e fome e aí a ideia é colocar canos com água e ração para que os comerciantes ajudem a cuidar, e que eles sejam retirados no final do dia, para não depredar ou envenenar os animais”, enfatizou.

O projeto da vereadora foi feito em parceria com o Sincomércio de Mogi. O comerciante que quiser ajudar pode ligar no 4798-9515. Já em relação aos animais de rua, se estiverem maltratados ou doentes, o telefone do Centro de Controle de Zoonoses é 4792-8585.

Por Débora Carvalho

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.