Segundo morador, bilhete foi deixado na garagem de casas em bairro de Sorocaba (Foto: Arquivo pessoal)

Cães são achados mortos em bairro onde ‘Dr. Chumbinho’ deixou bilhete; suspeita é de envenenamento

Dois cachorros morreram com suspeita de envenenamento em casas diferentes no bairro Jardim Prestes de Barros, em Sorocaba (SP). A região é a mesma onde uma pessoa distribuiu bilhetes com ameaças aos donos de animais de estimação e assinou como “Doutor Chumbinho”.

VÍDEO: Sistema de monitoramento flagra suposto ‘Doutor Chumbinho’ em Sorocaba

Ao G1, um morador da rua Bayard Nóbrega de Almeida afirma que a cachorra de estimação, a Mel, uma vira-lata que recolheu das ruas há cerca de três anos, morreu na madrugada de sábado (2). O tutor encontrou o animal sem vida e inchado no quintal.

“Ela ficava no corredor lateral. Não deu tempo de socorrer e achei estranho porque ela nunca teve nada”, conta o professor universitário Márcio Roberto Rodrigues Frederico, de 56 anos.

O dono a enterrou e não suspeitou de um suposto envenenamento até conversar com uma vizinha, na semana seguinte. Em outra casa, na mesma rua, outro cão foi achado inchado e morto no sábado de manhã.

“Eu acredito que o responsável por essa crueldade aja de madrugada. Os dois casos são muito parecidos”, diz Márcio.

Segundo morador, bilhete foi deixado na garagem de casas em bairro de Sorocaba (Foto: Arquivo pessoal)

Cuidados

Os animais mortos não passaram por exames. No entanto, segundo a veterinária Kelly Delgado, cachorros envenenados têm hemorragia interna, que pode levar ao inchaço após a morte.

“O animal tem lesão neurológica, hemorragia e, dependendo da hora, pode inchar. Logo que o veneno cai no sistema, o cão tem tremores, a pupila dilata e saliva muito”, explica.

A profissional indica que o dono deve levar o cachorro imediatamente ao veterinário para tentar salvá-lo.

“Não pode nunca dar leite. Isso acelera a absorção e piora as chances de recuperação.”

Vídeo

O G1 teve acesso na quarta-feira (6) às imagens gravadas de uma pessoa que seria responsável pela ação. No vídeo, registrado no sábado (2), uma pessoa de moletom e capuz aparece caminhando na calçada durante a noite (veja o vídeo acima). O suspeito passa de casa em casa deixando algo dentro da caixa de correspondência ou jogando pelo vão do portão.

Ao G1, o morador Paulo Saboia, de 38 anos, contou que um dos bilhetes foi deixado na casa dele no fim de semana. Ele conta que a cachorra de estimação da raça Akita e o filho dele, de dois anos, brincam no espaço onde o papel foi encontrado.

Após o episódio, o morador questionou alguns vizinhos na Rua Paschoal Bernal Vecina e achou o mesmo recado em outras residências, inclusive em algumas onde não vivem cachorros. Paulo acredita que a pessoa responsável pelas ameaças não sabe em qual imóvel vivem os cães, mas que pode se incomodar com os eventuais latidos.

“É alguém muito covarde, porque você pensa no seu cachorro como se fosse um filho. Perdemos a liberdade dentro da própria casa, porque não podemos deixar o animal na garagem e o filho brincando”, diz.

Um boletim de ocorrência deve ser registrado pela família na Polícia Civil, que apura o caso.

Câmeras flagraram uma pessoa colocando os bilhetes em residências de Sorocaba (SP) (Foto: Reprodução)
Câmeras flagraram uma pessoa colocando os bilhetes em residências de Sorocaba (SP) (Foto: Reprodução)

Por Carlos Dias, G1 Sorocaba e Jundiaí

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.