Calendário com cães e gatos vítimas de maus tratos é lançado em Volta Redonda — Foto: Reprodução/TV Rio Sul

Calendário com cães e gatos vítimas de maus-tratos é lançado em Volta Redonda, RJ

Cães e gatos vítimas de maus-tratos estrelam um calendário lançado este ano em Volta Redonda, RJ, como parte de uma campanha de proteção aos animais, feita por uma ONG. O objetivo é chamar atenção para casos de violência contra os bichinhos.

VÍDEO: Calendário alerta sobre os maus-tratos e abandono de cães e gatos

Além das fotos, em cada página uma mensagem de alerta ao dono do bichinho. No mês de janeiro, por exemplo, tem o seguinte lembrete: “Ano novo, velhos amigos”.

A mensagem é clara: maltratar os animais é crime. Para fazer o alerta, os bichinhos capricharam nas poses. Eles foram fotografados pela presidente de uma ONG que trabalha acolhendo animais nesta situação, Liz Guimarães.

“O objetivo é a gente linkar [cada situação com um mês]. Janeiro tem muito abandono, a gente começa com meu Preto, que é um cachorrinho velho. Aí começa ‘Ano novo, velhos amigos’, uma amizade que tem que perdurar. Acho que Março começa a chover, coloquei um cachorrinho com um guarda-chuva de frevo. Muita coisa que às vezes configura maus-tratos e ninguém percebe é o animal não ter uma cobertura para sol e chuva”, explica Liz.

Assim os outros meses foram surgindo, cada mês com uma foto e reflexão.

“É como se o e o gato estivessem falando aquilo, [pedir] água, ração vacina, higiene, cobertura de sol, proteção de chuva e sol.”, conta Liz.

A ideia da ONG, conta a Liz, é ter mais campanhas como esta, fazendo calendários assim todos os anos, abordando temas diversos, mas sempre priorizando os bichinhos.

Campanha tenta suprir necessidade que números refletem

Apesar das inúmeras campanhas, os casos de maus-tratos de animais não param de crescer. No canil da Sociedade de Proteção aos Animais, há 150 cães e gatos abrigados atualmente. O objetivo é reabilitá-los e encontrar um lar com responsabilidade e capacidade para cuidar adequadamente nesses animais.

O vice-presidente da instituição, Igor Reis, diz que todos os dias chegam relatos de maus-tratos.

“Hoje um dos casos de maus-tratos mais comum é a restrição do animal a vida na corrente, o que em Volta Redonda é proibido por lei. Outra coisa é a privação de alimento, muita gente no final do ano viaja e acaba deixando o animal com um pote de ração e comida para uma semana. E outro caso muito comum é o abandono, o abandono é um dos casos mais sérios de maltrato aos animais. Um animal que hoje você pega filhote, cria em casa e solta na rua, a chance de sobrevivência dele é quase mínima”, diz Igor.

Para denunciar maus-tratos ou abusos aos animais basta ligar para o telefone 0300 253 1177 ou denunciar a situação na delegacia e nas secretarias de meio ambiente das cidades.

Casos recentes na região

No Sul do Rio de Janeiro, dois casos recentes de violência contra animais, ocorridos entre o fim de 2018 e o começo de 2019, chamaram a atenção da população.

No mais recente deles, uma gata foi morta a pauladas por uma mulher no domingo (6), dentro de um mercado de Paraty, na Costa Verde do Rio. Segundo os responsáveis pelo estabelecimento, a suspeita matou o animal após pisar acidentalmente no rabo dele e ser arranhada.

A mulher foi atendida pelas pessoas presentes no local após o arranhão, mas voltou com um pedaço de pau minutos depois e atingiu a gata na cabeça, que morreu na hora. Uma câmera de segurança do mercado registrou o crime. A suspeita foi levada para a 167ª Delegacia de Polícia (Paraty). Ela foi ouvida e vai responder em liberdade.

No outro caso, um cachorro foi morto a tiros por um idoso no dia 31 de dezembro de 2018, em Valença. O homem teria brigado com a vizinha e fez disparos que acertaram o animal.

Segundo a PM, o suspeito é um capitão da Marinha do Brasil e atirou no cachorro com uma espingarda calibre 22, que foi apreendida. O idoso foi encaminhado a 91ª Delegacia de Polícia (Valença), onde foi autuado na lei de maus-tratos aos animais e por disparos de arma de fogo. Ele também vai responder em liberdade.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.