Câmara aprova emenda que garante verba municipal para entidades protetoras de animais em Rio Branco, AC

Proposta foi incluída na LDO no último dia 13 de julho. Presidente de associação diz que verba vai facilitar o trabalho e pagamento de clínicas.

428
Entidades protetoras de animais vão receber auxílio da prefeitura para manter serviços (Foto: Divulgação/ Patinha Carente)

A Câmara Municipal de Rio Branco aprovou, no 13 de julho, uma proposta de emenda parlamentar que inclui as entidades protetoras de animais na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2018. Com isso, as ONGs passam a receber auxílios de verbas municipais para atuarem na capital acreana.

A presidente da Associação Patinha Carente, Vanessa Facundes, conta que várias entidades foram ouvidas para que a emenda fosse feita e apresentada pelo vereador Emerson Jarude (PSL-AC). Segundo ela, um dos principais problemas enfrentados pelas entidades é a falta de uma verba fixa para custear tratamentos médicos e alimentação.

“Ainda não tínhamos nada relacionado às causas animais. A prefeitura doava coisas como castração através do Centro de Zoonoses ou alguma medicação, mas nada fixo, então, isso não fazia muita diferença no cenário que enfrentamos. Hoje temos que pagar clínicas e ampliar a rede de atendimento, isso vai facilitar o muito o nosso trabalho”, destaca.

ONG vai receber auxílio para custear atendimentos à animais em Rio Branco (Foto: Divulgação/Patinha Carente)

O vereador diz que até este ano o município nunca tinha tratado de políticas públicas voltadas para a causa animal e que esse foi apenas o primeiro passo. Segundo ele, a falta de iniciativas voltadas para o tema gerou transtornos para os animais e para a população, já que está ligada à saúde pública.

“Isso vai assegurar que as entidades privadas e também aquelas sem fins lucrativos, como as ONGs, possam receber auxílios financeiros por parte do município para desempenhar as suas atividades. Isso pode ocorrer em parcerias com a prefeitura ou através de alguma ação pontual”, finaliza.

Por Quésia Melo

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.