Caso aconteceu no Sagrado Coração de Jesus, menos de um mês após as mortes em série ocorridas em Lamim

Cão morre após ingerir veneno de rato e tutora registra crime na delegacia, em Conselheiro Lafaiete, MG

Em todo Brasil, ouve-se falar sobre casos de maus-tratos aos animais. Em Lafaiete, a morte por envenenamento de um cachorro provocou revolta e comoção entre a família de uma leitora do Jornal CORREIO, que procurou nossa Redação para falar do episódio ocorrido em sua casa, no bairro Sagrado Coração de Jesus (zona Leste). Fred, companheiro de 10 anos de Marta Chaves dos Anjos, precisou ser sacrificado após apresentar sintomas de intoxicação química, e caso foi parar na delegacia da cidade. Ainda não há suspeitos relacionados.

De acordo com Marta Chaves dos Anjos, ao voltar de uma viagem, no dia 27 de março, Fred foi encontrado muito quieto e com a pupila dilatada. Na Clínica Veterinária Amoricão, o veterinário relatou que o animal apresentava hemorragia intestinal aguda, causada, provavelmente, pela ingestão de veneno de rato, além de um quadro neurológico característico do processo. Fred foi internado e medicado, mas apesar do tratamento, teve que ser sacrificado, devido ao quadro crítico e desfavorável. Os custos do tratamento somaram R$870. “É preciso haver mais conscientização por parte das pessoas sobre o significado de um bichinho de estimação, que, assim como seres humanos, é capaz de sentir e sofrer”, desabafa.

Em dezembro de 2018, após a revolta nacional sobre os maus-tratos que levaram a óbito um cachorro de rua no Carrefour, em Osasco (SP), o plenário do Senado Federal aprovou a ampliação da pena para o crime de maus-tratos contra animais. Pela nova redação, a pena prevista (3 meses a 1 ano de detenção, além de multa), pode passar a ser de 1 a 4 anos de detenção, com multa. A alteração da lei também prevê punição financeira para estabelecimentos comerciais. A aprovação para a alteração está em análise na Câmara dos Deputados e precisa ser aprovada para, então, ser encaminhada para sanção presidencial.

Série de mortes em Lamim

Há menos de um mês, a morte de sete cães chocou a população de Lamim. Os moradores levantaram a suspeita de envenenamento dos animais por uma pessoa. Os corpos dos cães passaram por exames de necropsia para descobrir a causa mortis no Centro de Controle de Zoonoses de Lafaiete. O caso foi encaminhado para a Polícia Civil, para definir se houve crime de envenenamento.

Denuncie!

A denúncia contra maus-tratos tem base no Art. 32 da Lei Federal nº 9.605, de 1998, na seção I, dos crimes contra a fauna:

Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:

Pena – detenção, de três meses a 1 ano, e multa.

A denúncia pode ser feita nas delegacias da cidade com registro de boletim de ocorrência.

Fonte: Jornal Correio da Cidade

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.