Veterinário acredita que capivara chegou até o local por meio de um corredor ecológico — Foto: Instituto Klimionte Ambiental/Divulgação

Capivara é resgatada depois de ficar presa por dois dias em terreno baldio de Ponta Grossa, PR

Uma capivara que estava presa em um terreno baldio de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, há dois dias foi resgatada pela Guarda Municipal (GM) neste sábado (13). O animal foi solto em uma área de mata ciliar, segundo a GM.

O animal estava em um terreno do bairro Jardim Carvalho. Moradores vizinhos relataram que o bicho estava no local desde quinta-feira (11) e não conseguia sair.

Segundo o médico veterinário Robson Klimionte, do Instituto Klimionte Ambiental (IKA), a capivara entrou no terreno por córregos que passam pela região, os chamados corredores ecológicos.

O terreno onde a capivara estava possui muros e faz fundo com um riacho.

O veterinário disse ainda que o animal está saudável, mas apresenta algumas lesões na boca. Para o profissional, o machucado pode ter sido causado em algum momento que a capivara tentava sair do local. O animal foi medicado e solto próximo ao Rio Tibagi.

Resgate de animais

Ainda neste sábado a Guarda Municipal e o Instituto Klimionte Ambiental socorreram um cervo que estava caído às margens de uma estrada. O animal foi vítima de um atropelamento e precisou ser sacrificado.

Capivaras e cervos são comuns na região dos Campos Gerais do Paraná. Apenas neste ano, na região de Ponta Grossa, outras duas capivaras e três cervos foram resgatados, segundo o IKA.

Além desses bichos, um macaco bugio, dois guaxinins, um lagarto e uma cobra coral já foram capturados. Mais de 200 pássaros também foram apreendidos. De acordo com o IKA, alguns ainda permanecem em recuperação e outros já foram soltos na natureza.

A recomendação da Guarda Municipal é para que as pessoas chamem as autoridades para resgatar animais.

Quatro cervos foram resgatados em Ponta Grossa desde o início do ano — Foto: Guarda Municipal de Ponta Grossa/Divulgação
Quatro cervos foram resgatados em Ponta Grossa desde o início do ano — Foto: Guarda Municipal de Ponta Grossa/Divulgação

Por Gisele Wardani, RPC Ponta Grossa

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.