Cascavel é encontrada em banca de frutas, no DF; veja vídeo

Cascavel é encontrada em banca de frutas, no DF; veja vídeo

Comerciantes de uma barraca de frutas em Ceilândia, no Distrito Federal, encontraram uma cascavel escondida entre as mercadorias. De acordo com o vendedor, por volta das 9h desta quinta-feira(10), eles perceberam a cobra se remexendo entre as frutas vendidas perto da BR 070.

Vídeo: Cascavel é encontrada em banca de frutas em Ceilândia, no DF.

O Batalhão de Polícia Militar Ambiental foi chamado para resgatar a serpente, que é venenosa. Quando os policiais chegaram, encontraram o animal bastante agitado, já perto da saída da barraca, no meio das caixas (vídeo acima).

De acordo com a Polícia Militar, de janeiro a abril deste ano, o Batalhão Ambiental resgatou 213 serpentes em áreas urbanas de Brasília. O número é parecido com o do mesmo período do ano passado, apenas “umas 9 ou 10 a mais”, explicou o comandante do Batalhão Ambiental, Major José Gabriel de Souza Júnior.

Segundo o comandante, por causa do período de chuvas, as serpentes procuram encontrar ambientes mais quentes. O problema, de acordo com o major, é que “elas estão cada vez mais próximas dos centros urbanos”.

“As pessoas invadem, cada vez mais, o espaço de mata onde vivem os animais silvestres. É natural que os animais busquem espaço.”

O que fazer ao encontrar uma serpente

O comandante do Batalhão de Polícia Militar Ambiental explica que a cascavel (Crotalus durissus) é típica do cerrado. Mas as pessoas nunca devem tentar capturar a serpente, que é venenosa.

A orientação é sair do ambiente e fechar a porta. Sempre retirar idosos e crianças de perto, e chamar a PM. Se a serpente estiver em ambiente aberto, é importante visualizar o local onde a cobra se encontra para orientar os policiais.

Cetas do Ibama

A cascavel encontrada nesta quinta, em Ceilândia, é típica do cerrado. Ela não apresentava nenhum tipo de ferimento e foi levada para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Ibama.

Os Centros de Triagem recebem espécies silvestres que são entregues voluntariamente pela população, resgatados ou apreendidos por fiscais e policiais. No DF, o Cetas fica próximo da Floresta Nacional. No local, os animais recebem tratamento – quando necessário – e depois são soltos ou encaminhados para criadouros autorizados.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.