Unidade deverá servir como ferramenta de conscientização sobre a castração - Foto: Luiz Fernando Bertuol/SECOM

Castramóvel deve estar pronto no primeiro semestre de 2019, em Santa Cruz do Sul, RS

Os santa-cruzenses que aguardam pela Unidade Móvel de Esterilização e Educação em Saúde (Umees) – Castramóvel, já podem marcar na agenda: a unidade deve estar pronta para uso ainda no primeiro semestre de 2019. A previsão é do secretário de Saúde de Santa Cruz do Sul, Régis de Oliveira Júnior, que comemora a aprovação da verba solicitada à Secretaria de Vigilância e Saúde do Ministério da Saúde. O recurso de R$ 150 mil foi aprovado em publicação no Diário Oficial da União dessa segunda-feira, 10. O valor servirá para aquisição do trailer que abrigará a unidade e dos equipamentos e materiais utilizados nas castrações.

Mesmo que a verba seja comemorada, ela não corresponde totalmente ao custo de manutenção que será necessário. A Prefeitura terá que investir, no mínimo, R$ 1 milhão para manter a unidade funcionando anualmente. “Esses projetos precisam ter uma equipe mínima, ou seja, um veterinário e dois auxiliares para fazer as cirurgias. Como a unidade vai até os bairros, é preciso ter mais cuidado, porque os animais precisam estar em jejum antes do procedimento cirúrgico, depois eles precisam de acompanhamento e medicação. Então nós vamos ser muito prudentes, cuidadosos e cautelosos ao executar esse projeto da unidade móvel”, explicou o secretário.

A decisão pelo trailer – ao invés do micro-ônibus planejado inicialmente -, também se refere ao custo de operação. “Se optássemos por um veículo mais caro, que é o caso, por exemplo, do ônibus, o valor repassado pelo Ministério da Saúde seria insuficiente e a Prefeitura teria que aportar recursos. Então, o trailer foi o equipamento mais barato e que cumpre com a finalidade.”

A partir de agora, com a aprovação da verba, a Prefeitura precisa fazer um Termo de Referência, abrir a licitação para as empresas interessadas em colocar o projeto em prática e submeter a unidade ao Conselho de Veterinária, que terá que aprovar a iniciativa. Ainda serão definidos, conforme Régis, quais vão ser os critérios de cadastro das famílias e em quais bairros a unidade irá circular.

O projeto, já nesta fase, é comemorado pela população e deve servir, especialmente, como uma ferramenta de conscientização sobre a importância da castração. “O projeto vem para agregar ao controle de zoonoses. A Prefeitura vai criar um grupo de trabalho para unir Meio Ambiente e Saúde, tanto no controle para que não haja uma reprodução significativa desses animais, quanto na conscientização da população. É importante que esta unidade esteja nos bairros por isso”, comentou Régis. “Tudo o que for pra gente trabalhar no bem-estar animal é importante e a comunidade reconhece isso”.

Conforme a vereadora Bruna Molz (PTB), é o Município que irá decidir os critérios de atendimento. Porém, ela acredita que os animais das famílias de baixa renda, de protetores independentes, de ONGs e animais abandonados serão atendidos. “Com alegria, fiquei sabendo que o Ministério da Saúde aprovou o projeto encaminhado pela Prefeitura e agora estamos na expectativa para o processo licitatório abrir e ver quem vai fazer o Castramóvel para começarem os trabalhos”, comenta.

A unidade

A ideia da criação da unidade em Santa Cruz partiu da vereadora Bruna, que conheceu o serviço em Porto Alegre, em 2012. O castramóvel precisa ter sala de medicação pré-anestésica, sala cirúrgica, sala de pós-operatório, sala de assepsia e autoclavagem e os materiais necessários para a execução dos procedimentos.

Fonte: GAZ

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.