Como não existem definições legais dos termos “cruelty-free” e “não testado em animais”, parece que as marcas podem interpretar os termos como quiserem. (Emilija Manevska via Getty Images)

Por que o selo ‘cruelty free’ nem sempre é verdadeiro em alguns cosméticos

Ainda existe esperança de um futuro com cosméticos que não envolvam maus-tratos de animais.

A indústria da beleza testa seus produtos em animais há anos. Essa prática ainda se mantém, apesar de muitas marcas terem adotado métodos ditos cruelty-free (livres de crueldade, ou seja, que não envolvem tratamento cruel de animais).

Vaquejada entra novamente em pauta no STF

Vaquejada entra novamente em pauta no STF

Tema deve ser julgado no dia 9/8. Em novembro do ano passado, medida cautelar pediu que o órgão suspendesse as leis que regulam a atividade

A Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4983, que julga a prática da vaquejada, será discutida novamente no Supremo Tribunal Federal (STF) no próximo dia 9/8.

As pessoas ficam chocadas com os animais mortos nos oceanos, mas não alteram comportamentos

As pessoas ficam chocadas com os animais mortos nos oceanos, mas não alteram comportamentos

“Habituámo-nos a viver de uma forma que não é amiga do ambiente e no futuro vai trazer consequências, nomeadamente na saúde pública, e não é no futuro longínquo porque a quantidade de plástico nos oceanos já é enorme”, disse à agência Lusa Isabel Domingos, do Departamento de Biologia Animal da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (Ciências ULisboa) e investigadora do MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente.