Cadela supostamente violentada é resgatada das ruas e precisa de ajuda em Teresina

A cadela batizada pelo nome de Vitória, que foi resgatada após ser supostamente violentada por usuário de droga que mora em um terreno baldio no centro de Teresina, PI, precisa de ajuda. A veterinária que acompanha o caso explica que o animal chegou à clínica sangrando e com a vulva vaginal rasgada. Voluntários estão organizando uma campanha para conseguir doações para sanar os ferimentos e o trauma do animal.

LEIA MAIS Cadela supostamente violentada é resgatada das ruas e precisa de ajuda em Teresina
Fotos: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

Animais ficam até cinco anos na Apipa à espera de um lar

Lessie, Belinha, Julie, Talita, Maricota, Amuleto…. são nomes de alguns dos moradores da Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais (Apipa). Em comum, os animais tem histórias de sofrimento que envolvem abandono e maus-tratos. Atualmente, 200 gatos e 77 cães vivem na ONG, muitos destes, aguardam há mais de cinco anos por um lar; outros morrem no abrigo e nunca encontram alguém para adotá-los.

LEIA MAIS Animais ficam até cinco anos na Apipa à espera de um lar
Chico foi encontrado com uma grave lesão na cabeça e está com o focinho fraturado. — Foto: Raiza Sousa/Arquivo pessoal

Cachorro é abandonado pela família em Teresina e tem focinho quebrado ao ser agredido com tijolo

Um cão macho adulto sem raça definida foi resgatado nessa quinta-feira (6) e está internado em uma clínica veterinária de Teresina devido uma grave lesão na cabeça, que deixou bastante ferido um dos olhos. O animal recebeu o nome de Chico e sua história comoveu até mesmo as pessoas que já costumam fazer resgate de animais.

LEIA MAIS Cachorro é abandonado pela família em Teresina e tem focinho quebrado ao ser agredido com tijolo
Polícia Civil e UFPI investigam comentário que defendia morte de cachorro por espancamento

Polícia Civil e UFPI investigam comentário que defendia morte de cachorro por espancamento

A Polícia Civil e a Universidade Federal do Piauí estão apurando a autoria de um comentário, atribuído a uma aluna da instituição, com posicionamento a favor da morte do cachorro conhecido como Manchinha, em Osasco, na Grande São Paulo, na última sexta-feira (30). A jovem apontada como autora registrou Boletim de Ocorrência e disse que teve seu perfil na rede social Instagram invadido.

LEIA MAIS Polícia Civil e UFPI investigam comentário que defendia morte de cachorro por espancamento