Ministério Público de Alagoas investiga mortandade de peixes no Rio Poxim, em Coruripe

O Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL), por meio da Promotoria de Justiça de Coruripe e da 4ª Promotoria de Justiça da Capital, instaurou, nesta sexta-feira (23), um procedimento preparatório para investigar elevado índice de mortandade de peixes e a possível insuficiência de oxigênio no Rio Poxim, no município do litoral sul. A investigação terá o apoio operacional do Núcleo de Defesa do Meio Ambiente do 1º Centro de Apoio Operacional do MPE/AL.
LEIA MAIS Ministério Público de Alagoas investiga mortandade de peixes no Rio Poxim, em Coruripe
al portopedras peixeboi0

CMA realiza 1ª soltura de peixe-boi marinho de 2015 em Porto de Pedras, AL

Dando sequencia aos esforços reintrodução, o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Aquáticos (CMA) realizou nesta quarta-feira, dia 21 de janeiro, a primeira soltura de peixes-bois do ano de 2015. A soltura do animal “Clara” será realizada pela Base Avançada do CMA em Porto de Pedras/AL e Centro de Reabilitação de Animais Silvestres – CRAS/CMA/PE.
LEIA MAIS CMA realiza 1ª soltura de peixe-boi marinho de 2015 em Porto de Pedras, AL
IRLANDA 4608110529 0fe2f323cf b-1200x741 thumb m

Irlanda pode ser o próximo país a conceder aos macacos a condição e os direitos de ‘pessoas não-humanas’

A decisão da Argentina ao conceder o status de ‘pessoa não-humana’ a orangotango Sandra foi destaque em muitos noticiários mundiais. Infeliz com sua vida no Zoológico de Buenos Aires, Sandra será transferida a um santuário de primatas no Brasil. A ARAN – Animal Rights Action Network – maior grupo de direitos animais da Irlanda, já traçou um plano para que os macacos do zoológico de Dublin conquistem o mesmo direito nos tribunais.
LEIA MAIS Irlanda pode ser o próximo país a conceder aos macacos a condição e os direitos de ‘pessoas não-humanas’
catar ararinha0

Brasil quer trazer ararinhas-azuis do Catar

O Brasil quer trazer para o País ararinhas-azuis que vivem em cativeiro no Catar para aumentar a reprodução dos indivíduos e, assim, tentar devolver a espécie à vida selvagem. Para isso, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) pediu ao Itamaraty que ajude no pedido ao país árabe. As aves que vivem no Catar estão sob os cuidados da Al Wabra Wildlife Preservation, instituição que fica perto da capital, Doha, e que reúne animais ameaçados. A ave é nativa da caatinga, bioma que só existe no Brasil.
LEIA MAIS Brasil quer trazer ararinhas-azuis do Catar