Por detrás da 'máscara' da indústria pecuária, esconde-se 'A Vaca que Não Ri'

Por detrás da ‘máscara’ da indústria pecuária, esconde-se ‘A Vaca que Não Ri’

Há uma “vaca que ri” porque vive livre num prado verdejante, onde pode comunicar com o resto da manada, comer relva e produzir leite destinado à cria que prospera, na sua companhia. Mas fora da “utopia” dos anúncios publicitários da indústria pecuária — e dentro da realidade da linha de produção —, há milhões de vacas que não se riem porque vivem e morrem sempre “encarceradas”, longe da “luz solar e do ar fresco, sem espaço para se mexerem, sem conseguirem comunicar com o resto da manada; “doentes” e “com feridas expostas”;” vítimas de “violações reiteradas” e “ordenhas mecânicas” várias vezes ao dia; alvo de “pancadas e descargas eléctricas”, “mutilações” e “inseminações forçadas” que geram uma cria de quem é, muitas vezes, imediatamente separada.

Como a tecnologia pode combater os maus-tratos animais no cinema

Como a tecnologia pode combater os maus-tratos animais no cinema

Nos Estados Unidos, abuso contra animais já é considerado crime. Porém, isso não impediu que muitos animais sofressem maus tratos durante gravações no cinema. Em 2017, o filme “Quatro Vidas de Um Cachorro” causou polêmica após a divulgação de um vídeo em que um cão é forçado a entrar em um tanque com água, apesar de aparentar estar apavorado.

Ambulância do Samu Animal pega fogo em Hortolândia, SP

Ambulância do Samu Animal pega fogo em Hortolândia, SP

Uma ambulância do Samu Animal de Campinas pegou fogo na tarde desta quarta-feira (25) em Hortolândia, no bairro Santa Esmeralda. O veículo estava em Hortolândia, o que em tese não poderia acontecer já que o serviço é da Prefeitura de Campinas, porque foi atender uma ocorrência no bairro Jardim Novo Maracanã (leia mais abaixo).

Ana Rita na sessão. (Foto: Nilson Bastian/Assessoria de Imprensa CVJ)

Proibição da distribuição de animais como brindes pode virar lei em Joinville, SC

A distribuição de animais vivos, de estimação ou exóticos em eventos comemorativos na área urbana de Joinville será proibida. A determinação está no projeto de lei complementar 52/2017, da vereadora Ana Rita Negrini Hermes (PROS) que foi aprovado pela comissão de Urbanismo, Obras, Serviços Públicos e Meio Ambiente nesta terça (19/6). O projeto seguirá, agora, para votação em primeiro turno no plenário da Câmara de Vereadores.

Fotógrafa faz um chocante ensaio sobre a exploração de animais

Fotógrafa faz um chocante ensaio sobre a exploração de animais

As fotografias de Britta Jaschinski mostram itens apreendidos em aeroportos e podem ser assustadoras. Ela tenta entender o que é o limite da vontade humana de se alimentar de produtos da vida selvagem, mesmo que isso cause muito sofrimento, e em alguns casos, leve os animais à extinção ou a exploração.