SC Joinville frada H

Frada destaca avanços na proteção dos animais e pede apoio contra abusos em rodeios em Joinville, SC

SC Joinville frada

No Clube das 9, Eduardo Lima recebe Ana Rita Hermes, presidente da Frada – Frente de Ação pelos Direitos Animais, onde comenta sobre a proteção dos animais.

Ela lembrou que a Frada é uma associação sem fins lucrativos que age em defesa dos direitos animais, bem como na preservação do meio ambiente. Campanhas educativas em escolas da região, catequese e grupo de jovens com palestras/ seminários para conscientização de professores e funcionários de pequenas e grandes empresas.

Destacou também eventos de confraternização envolvendo a comunidade, como as “cãominhadas” anuais, reunindo pessoas de todas as idades, patrocinadores e amigos numa manhã de recreação, confraternização e conscientização. Ana também frisou sobre a representação dos animais em juízo e Cyberativismo, Ativismo Digital ou Ativismo On-line, utilizando cada vez mais a internet para divulgar ações pelos direitos dos animais.

Na defesa dos direitos dos animais, enfatizou a Ação Civil Pública contra a realização do rodeio na 1ª festa de peão de boaiadeiro de Araquari, que será realizada de 9 a 12 de outubro. Infelizmente, Ana revelou que o Juiz negou a liminar alegando primeiramente que este tipo de prática é lícita “propiciando à coletividade entretenimento e, aos comerciantes e demais setores envolvidos, a geração de renda”.

A Frada entende que todas as atividades de rodeios e afins, desde o transporte dos animais até a provas da arena, constituem maus-tratos. Também entende que os animais não foram criados para entretenimento dos humanos.

A partir de agora, a Frada iniciará ações de repúdio à realização do rodeio, lembrando que não a entidade não é contrária à festa em si, mas ao uso de animais, o que em rodeios configura maus-tratos, para o entretenimento de pessoas. Ela reforçou a questão de respeito aos animais, principalmente contra o abandono, maus-tratos e necessidade de uma campanha de castração dentro das normas exigidas.

Fonte: Rádio Clube Joinville

SP ONG campanha H

Desafio ‘Cara de Um, Focinho do Outro’ arrecada fundos para ajudar cães e gatos

SP ONG campanha

A ONG Vira-Lata é Dez atua há 12 anos resgatando e oferecendo tratamento a animais em situação de vulnerabilidade. Atualmente, a associação abriga cerca de mil animais que estão disponíveis para adoção, gerando um gasto de mais de 25 sacos de ração por dia. Com todas as despesas, a ONG desembolsa aproximadamente R$ 65 mil por mês.

Para conseguir arrecadar fundos, a ONG criou o desafio #caradeumfocinhodooutro. A iniciativa pede que as pessoas tirem uma foto com seu animalzinho usando a hashtag e desafie três amigos a participar e doar qualquer quantia para ajudar nas despesas da Vira-Lata. É possível fazer sua doação através deste link.

A ONG está passando por uma situação financeira crítica e precisa de sua ajuda para continuar oferecendo tratamentos, promovendo campanhas de castração e buscando um novo lar para cães e gatos. Veja internautas que já aceitaram o desafio:

SP ONG campanha2

SP ONG campanha3

Fonte: Catraca Livre

RJ Petropolis santuario fadas H

Santuário das Fadas precisa de ajuda para a manutenção de mais de 130 animais em Petrópolis, RJ

RJ Petropolis santuario fadas

O Santuário das Fadas foi fundado em 2008 pela veterinária e ativista Patricia Fittipaldi, está localizado em uma área afastada de Itaipava, na região serrana do Rio, com um clima muito agradável, o Santuário está protegido do barulho e da confusão das ruas e mantém o silêncio apropriado para todos os animais.

Atualmente, são mais de 130 animais entre cavalos, porcos, bois, cabritos, galos, patos e muitos outros, todos resgatados de situação de maus-tratos e de exploração.

Muitos desses animais ficaram com graves sequelas, mas recebem atenção diária de sua fundadora, que não conta com nenhum patrocínio para manter a estrutura. Patricia sempre teve imensa compaixão com os animais e, desde criança, já resgatava animais feridos de rua para cuidar.

Sete anos após sua criação, o Santuário está enfrentando grandes dificuldades, e precisando de ajuda. Com altos custos e nenhuma ajuda financeira, o Santuário está sob risco de não conseguir pagar os mantimentos dos animais e não poder se sustentar.

RJ Petropolis santuario fadas2

Patricia levantou todos os custos e criou uma Vakinha na internet. Seu objetivo é conseguir R$ 50.000, mas ainda faltam mais de 60% deste valor.

“AMIGOS! CRIAMOS A VAKINHA PRA FACILITAR AOS QUE QUEREM NOS AJUDAR! É TUDO OU NADA! Estamos precisando do apoio de todos vocês nesse momento. Nunca estivemos numa situação tao ruim. Estamos devendo o total de 50 mil reais, referente a cheque especial, empréstimos e tudo mais que utilizamos para manter os animais do santuário. Se não conseguirmos quitar essa dívida até semana que vem os animais não terão o que comer, pois a empresa que nos vende a ração não nos entregará mais se não pagarmos os boletos atrasados e com todas essas dívidas no banco não temos como quitar isso. Estamos sem saída e contamos com a ajuda de todos vocês urgente para salvar o Santuário das Fadas. A união faz a força, não deixem que um trabalho como esse acabe e passe por todo esse caos. Sem vocês nada poderemos prosseguir!” ‪#SalvemOSantuarioDasFadas‬

Pra quem preferir colaborar por meio de depósito, nossa conta para depósito é:

Banco Itaú
Conta corrente: 59501-8
Agência: 0488
CPF: 083136197-24
Em nome da fundadora: Patricia Fittipaldi

Divulgação:
Facebook: www.facebook.com/santuario.d.fadas
Site: http://www.santuariodasfadas.org/

Fonte: Canal Petrópolis

PR Curitiba senhas incentivam adocao D

Senhas de filas incentivam adoção de cachorros abandonados em Curitiba, PR

PR Curitiba senhas incentivam adocao

Para adotar um animal não é necessário ficar na fila. Esse é o mote da ação promovida pela ONG Tomba Latas, de Curitiba (PR), para conscientizar as pessoas sobre a adoção de cachorros abandonados.

Um vídeo, criado pela agência Candy Shop, foi gravado em algumas padarias de Curitiba que tiveram as senhas trocadas por ilustrações de cães. Quando as pessoas retiravam os papéis e se direcionavam para a fila, percebiam que não havia um número, como de costume, mas frases que incentivavam a adoção desses animais. Confira:

Pet Ticket from Bruno Siqueira (Malha) on Vimeo.

A ONG realizou a ação para chamar a atenção das pessoas sobre a adoção desses milhares de cachorros que são abandonados todos os dias no Brasil. Muitos deles são recolhidos pelas organizações não governamentais (ONGs) de proteção aos animais. Uma delas é a Tomba Latas, formada por 12 mulheres que se encarregam de resgatar estes cãezinhos que estão largados nas ruas.

“Alguns deles são encontrados em situações precárias e nós cuidamos deles com veterinários e remédios para que todos melhorem e possam ser escolhidos pelas pessoas. O intuito de vídeo é exatamente este, mostrar que adotar um animal é muito fácil, basta querer e ter muito amor disponível”, explica Carla Moraes, uma das responsáveis pela Tomba Latas.

A ação foi criada pela agência curitibana Candy Shop e contou com o apoio das padarias Requinte, também de Curitiba.

PR Curitiba senhas incentivam adocao2

PR Curitiba senhas incentivam adocao3

Ficha Técnica

Cliente: ONG Tomba Latas
Agência: Candy Shop
Diretor de criação: Bruno Regalo
Direção de arte: Bruno Regalo e Thiago China Matsunaga
Redação: Zé Luís Schmitz e André Boaventura
Produção Gráfica: Dani Bohn e Elaine Patrícia
Atendimento: Eduardo Johnscher
Planejamento: Ricardo Mercer
Produtora de vídeo: Loco Filmes
Apoio: Requinte

Fonte: Adnews

PA Santarem resgata animais H

Associação resgata e cuida de animais abandonados em Santarém, PA

Associação “Filhos de Pêlo” atua há um ano na cidade. Objetivo é garantir os direitos de cães e gatos em situação de risco.

PA Santarem resgata animais

Retirar animais em situação de risco das ruas, ajudar a encontrar cães desaparecidos e contribuir para tornar a vida de um animal ou de toda uma família mais feliz. Essas são apenas algumas das atribuições da Associação Filhos de Pêlo, que atua há um ano em Santarém, no oeste do Pará.

Entre tantas funções, a Associação luta principalmente pelo bem estar e saúde de cães e gatos em situação de risco. Quando encontrados, eles ganham cuidado, comida e carinho especial. O principal foco é retirá-los das ruas, cuidar e castrar. Para isso, os animais são levados a uma clínica veterinária, onde passam por exames e depois são doados.

A médica veterinária Débora Marcelino conta que a iniciativa é para tentar diminuir o grande número de animais abandonados nas ruas de Santarém. “Os animais vem adoecendo e a população acaba abandonando nas ruas. Então nós orientamos a não cometer esse ato, porque esses animais, uma vez doentes, podem transmitir zoonoses, que são doenças que podem ser transmitidas aos seres humanos, como a leishmaniose”.

A equipe da TV Tapajós acompanhou o resgate de um cão, chamado “Campeão”. O cachorrinho estava na rua desde quando a família passou a morar em outra cidade. “Já conseguimos dois lares para o Campeão, mas ele sempre retorna para esperar pela família. Nós damos banho nele, alimentos todos os dias e estamos tratando de uma inflamação em um dos olhos”, explica a professora e voluntária Neyla Braga.

Fonte: G1 / TV Tapajós

RS Canoas ajuda comunidade H

Associação que cuida de animais pede ajuda da comunidade em Canoas, RS

Vira-latas que vivem na sede da Aprocan, precisam de ração, de medicamentos e material de limpeza.

Por Jeison Silva

RS Canoas ajuda comunidade

Os cães se exibem na cerca alvoroçados, como que pedindo para serem adotados. Parecem não perder a esperança de que os tutores humanos sejam tão fiéis quanto eles foram no passado (apesar do trauma de abandono e maus-tratos). Graças à Associação Protetora dos Animais de Canoas (Aprocan) 92 vira-latas experimentam uma vida nova, mais feliz, em uma pequena casa no Dique do Canil, no bairro Mato Grande. O problema é que, por mais que sobre amor, falta dinheiro para a cuidadora Eliane Tavares, 50 anos, dar conta de tudo. Sua ajuda pode fazer toda a diferença, inclusive ao adotá-los.

A Ong existe desde o fim dos anos 90 e precisa alimentar os animais com 30 quilos de ração por dia. “Eles consumiriam até 45 quilos diários, mas não há orçamento para tanto”, salienta a cuidadora. “Cada saco de 25 quilos custa uma média de R$ 60.”
Há também a preemência de medicamentos, reformas, material de limpeza e esterilização. Sem o auxílio de um funcionário a tarefa ficaria complicada. “Ele ganha R$ 900 mensais, mas pesa nas contas”, destaca. “Há telhas quebradas e piso para consertar, além da pintura nos canis, mas priorizamos a ração.” Não há despesa de aluguel, conforme a cuidadora, mas as castrações geram custo. “Cerca de 80% dos cães foram castrados a baixíssimo valor em clínicas privadas.”
As despesas com a higiene são fundamentais para o cuidado com a saúde, garantia de pelo bonito e brilhoso. “Têm que ser desverminados e onde dormem não pode ter acúmulo de pelo e poeira, por causa da sarna”, explica. “Creolina, clorofina, sabão em pó, esponja e detergente são fundamentais para evitar carrapatos, por exemplo.”
Quem puder ajudar com doações pode acessar www.facebook.com/elianetavarestavares ou ligar 8133-1244. E pense: se sua família quiser mesmo um animal de estimação, ele pode estar esperando na Aprocan, sem pedigree, mas um grande amigo.

Brechó e ração

Até o dia 12, Canoas realiza a Semana do Bem-Estar Animal da Prefeitura. Uma série de atividades para alertar sobre a posse responsável e o respeito ocorrem no município. No sábado (10), no Calçadão (próximo à passarela do trem) haverá um espaço para arrecadar ração, organizada por Ongs. Já na Praça Dona Mocinha, sexta-feira (9), sábado (10) e domingo (11) ocorre brechó. Os recursos serão revertidos às entidades que auxiliam os animais. Quem quiser levar ração também pode fazê-lo.

“Temos 5,4 mil cães de rua’’

O coordenador do Bem-Estar Animal, Cristiano Moraes, aponta uma estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) de que existe um cão para cada cinco pessoas no planeta. “Em Canoas, temos em torno de 54 mil cachorros, sendo 5,4 mil de rua”, alerta. “Todos os cães de rua que são atendidos pela gente são castrados.” Ainda assim, Moraes reconhece que houve, em 2015, redução do número de esterilizações oferecidas. “Não houve interrupção. Desde 2013, já fizemos 6,6 mil castrações.” Uma das principais dificuldades é de ordem financeira. “Não existe recurso vínculado de Estado e Governo Federal e na Prefeitura disputamos com outros projetos”, ressalta. “Já fizemos mais de 3 mil atendimentos gerais a cães de rua na cidade.”

Fonte: Diário de Canoas

RS Bage paralisa servicos H

RS: Prefeitura não paga e Núcleo Bageense de Proteção aos Animais paralisa serviços

RS Bage paralisa servicos

O Núcleo Bageense de Proteção aos Animais (NBPA) não irá realizar castrações, atendimentos de urgência e nem atendimentos clínicos a partir de hoje*, até que a prefeitura cumpra com o pagamento do convênio, que está atrasado.

De acordo com a presidente do NBPA Patrícia Coradini, o convênio deveria ter sido depositado dia 15 de setembro. “Utilizamos esse valor, que é de R$ 41,5 mil, para custos com castração, combustível e salário dos profissionais, entre outros. E até hoje (ontem), não efetuaram o pagamento”, enfatiza.

Patrícia comenta que não pode obrigar os profissionais a trabalhar. “Eu teria que realizar o pagamento, mas não tenho como fazer isso, sem a prefeitura cumprir sua parte. Amanhã (hoje), todos os funcionários do núcleo vão paralisar. A unidade móvel teria cerca de 20 castrações marcadas nos bairros, e mais 30 na Casa de Atenção aos Animais. Nada será realizado”, enfatiza.

A presidente diz que o fornecedor de ração também não foi pago. “Não teremos ração para os 350 animais do Centro de Atenção, e, provavelmente, se a prefeitura não se posicionar, teremos que largar os cães nas ruas da cidade, para que tenham chance de sobreviver. É lamentável”, salienta.

Fonte: Folha do Sul 

Nota do Olhar Animal: A matéria foi veiculada originalmente em 02/10. 
RN jumentos sem agua H

Sem água no RN, associação deixa de receber jumentos abandonados

Animais recolhidos nas estradas estão morrendo de fome e sede. Crise hídrica do estado agrava situação da falta d’água em alojamento.

RN jumentos sem agua

Destino de jumentos recolhidos nas estradas do Rio Grande do Norte, a Associação de Proteção aos Animais (Apa) anunciou que parou de receber os animais por falta de água e comida. São 700 jumentos alojados que vêm de diversas cidades do estado, além das divisas com a Paraíba e Ceará. A falta de água e comida tem causado a morte de animais na fazenda.

RN jumentos sem agua2

“Não adianta receber animais abandonados na BR e abandoná-los dentro das fazendas”, explica o fazendeiro Eribaldo Gomes, que cobra apoio das prefeituras para alojar os animais. Um dos cuidadores chegou a tirar água da própria casa para ajudar. “Tirei água de casa para tentar diminuir a sede de alguns animais porque era de dar dó”, explica Natan Mazaque.

A situação da Apa é agravada pela seca que atinge o Rio Grande do Norte. Nesta semana, o governo renovou por mais 180 dias o decreto de situação de emergência em 153 cidades do estado que sofrem com a estiagem prolongada. A renovação, assinada pelo governador Robinson Faria, foi publicada na edição desta quinta-feira (24) do Diário Oficial do Estado. Segundo o governo, esta é a pior seca dos últimos 100 anos.

A crise hídrica fez subir para 13 o número de cidades em colapso no abastecimento de água. Além delas, 42 estão estão recebendo água em sistema de rodízio. As informações são da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern).

Fonte: G1

ONG de proteção animal lança campanha para criação de clínica veterinária

Com sedes em São Paulo e Nova Friburgo, a Confraria dos Miados e Latidos – instituição sem fins lucrativos dedicada à proteção animal que completou 8 anos de atuação em setembro – lançou campanha em uma plataforma de crowdfunding buscando doadores para viabilizar a construção de uma pequena clínica veterinária.

“Temos hoje 73 animais sob nossa responsabilidade, 25 deles em observação, recebendo cuidados diários de saúde. Com esse número de animaizinhos em nossa sede, é frequente a necessidade de atendimentos de rotina – como aplicação de medicação injetável, inalação, ou até mesmo uma pequena cirurgia”, explica Tatiana Sales, presidente da ONG e responsável pela parte operacional do projeto. “Por essa razão temos o sonho de transformar a cozinha da nossa sede em uma pequena Clínica Veterinária, melhorando assim a qualidade de vida dos nossos gatinhos e facilitando a entrada de novos resgatados”, acrescenta.

Uma das propostas da ONG é resgatar e preparar para adoção cães e gatos de rua. “Parece simples, mas cada resgate precisa ser pensado e planejado para que consigamos dar todo o cuidado que cada animalzinho merece. Animais de rua normalmente sofrem de doenças, desnutrição e, com certa frequência, sequelas de maus tratos”, pondera Tatiana.

A segunda frente de atuação é a castração, que fica a cargo da veterinária Dra. Fernanda Conde – uma das pioneiras na realização do procedimento utilizando a técnica do gancho, que é minimamente invasiva e permite a castração a partir dos 2 meses de idade. “Promovemos mensalmente eventos de castração a baixo custo, além de mutirões completamente gratuitos para a esterilização de animais de rua, animais semidomiciliados e domiciliados em famílias de baixa renda. O impacto desta ação é o maior de todos, já que cada casal de gatos nas ruas sem castração pode gerar, por meio de seus descendentes, até 80 milhões de filhotes em dez anos!”, afirma Fernanda. Durante os 8 anos de atuação da ONG, foram esterilizados 6.416 animais.

Ao contrário do que dita a crença popular, a Confraria, assim como muitas organizações não governamentais, não recebe nenhum auxílio governamental: a verba para a realização de todos os seus projetos vem de doações. “Temos despesas fixas mensais altas e dependemos 100% de pessoas físicas, que conhecem e apoiam nosso trabalho, para levar a cabo nossas atividades diárias”, conta Adriana Tschernev, vice-presidente da Confraria e responsável pela arrecadação de fundos. “Quando nossa veterinária propôs o projeto da Clínica, pensamos logo em utilizar uma plataforma de crowdfunding. Estamos confiantes de que atingiremos a meta!”, completa.

Para ajudar, os interessados devem acessar o link da plataforma Kickante e escolher uma das formas de doação. “Além da recompensa imaterial de fazer o bem, preparamos lindos brindes para esta campanha, incluindo uma camiseta exclusiva”, revela Adriana.

Confraria dos Miados e Latidos

Fonte: R7

 

 

RS Valinhos empresario solta caes H

Soltando os cachorros

Voluntário investe cerca de R$ 3 mil para manter estrutura de canil e quase desiste da atividade.

Por Gerson Lopes

RS Valinhos empresario solta caes

Após soltar aproximadamente 100 cães e anunciar a demolição do canil que mantinha há cerca de um ano, o empresário João Andrade voltou atrás ontem à tarde. Ele decidiu manter a estrutura e continuar com o trabalho voluntário. Proprietário de uma oficina mecânica na Avenida Rio Grande, no bairro Valinhos, Andrade começou em 2012 a tratar os animais abandonados em frente ao seu estabelecimento. Para dar conta da demanda, há cerca de um ano decidiu construir um canil, distante cerca de 100 metros de seu local de trabalho, em um terreno da prefeitura municipal. O investimento foi de aproximadamente R$ 12 mil. De abril deste ano até o mês de setembro, o número de cães saltou de 19 para 100. “O canil virou ponto de abandono. As pessoas largam os animais sobre a tela e fogem” afirma.

Para tratar os cães de maneira adequada, Andrade investe mensalmente cerca de R$ 3 mil, entre ração, medicamento e veterinário. Os animais ficam separados entre machos, fêmeas, filhotes, e também por tamanho. O próprio empresário se encarrega da higiene no local. Na manhã de ontem, Andrade chamou a atenção ao abrir os portões do canil e literalmente soltar os cachorros. A decisão, segundo ele, ocorreu em função das constantes reclamações de vizinhos em relação ao barulho e também porque alguns cães ficam soltos na rua. “Eu venho à noite aqui. Eles não incomodam. Como não tenho espaço para todos, uma pequena quantidade permanece do lado de fora. Este é um dos motivos das queixas. Tudo é mantido com muita higiene. Uma pessoa chegou a dizer que a solução era envenenar os bichos para resolver o problema. Isso me causou muita indignação. Meu ato de hoje serviu como protesto” desabafou.

Além de abrir os portões, o empresário anunciou a demolição do canil para o início da tarde de ontem. A decisão movimentou as redes sociais. Diversas entidades se manifestaram favoráveis à continuidade do trabalho. A partir de uma conversa com o coordenador de fiscalização e licenciamento ambiental, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Rafael Colussi, Andrade resolveu voltar atrás em sua decisão. Segundo Colussi, a Sema já havia recebido uma notificação do Ministério Público para averiguar o canil. “Estivemos aqui no mês de abril e constatamos que as condições dos animais eram adequadas” afirma. Segundo ele, a prefeitura vai manter parceria com o empresário em projetos de castração e doação. “Também o alertamos de que o ato de soltar os cães se configura em abandono de animais, uma vez que ele é o responsável” afirma, dizendo que iria conversar com o responsável pela ameaça de envenenamento dos cães.

Segundo ele, o índice de abandono de animais em Passo Fundo é bastante elevado. “As pessoas se mudam e deixam os bichos para trás. Recentemente encontramos 32 gatos abandonados em uma residência. Isto é crime e estamos fiscalizando” alerta. No início da tarde, Andrade pediu aos funcionários que instalassem novamente os portões no canil, no entanto, boa parte dos cachorros já havia fugido do local. “Vou continuar cuidando deles, mesmo que para isso tenha que ‘apanhar’ dos vizinhos” declarou o empresário.

Fonte: O Nacional