A condição-animal em Kaspar Hauser – crítica à Ética racionalista: o bom selvagem e...

Pretende este artigo analisar, sob o contexto da ética racionalista, um fato real que se deu na Alemanha, início do século XIX, quando um jovem - Kaspar Hauser (?-1833) - por circunstâncias não devidamente esclarecidas, fora mantido em cativeiro subterrâneo, da infância à adolescência, privado de contato social e sem qualquer possibilidade de alcançar real conhecimento do mundo, até que o momento em que seu algoz o liberta na praça central de Nüremberg.

A história emblemática de Kaspar Hauser tem inspirado, desde então, diversos livros e ensaios literários, psicológicos, lingüísticos, filosóficos, antropológicos, jurídicos etc, além da produção de películas cinematográficas sobre o tema. Para delimitar o campo de ação, a presente pesquisa restringiu-se a duas obras: o romance "Kaspar Hauser ou A indolência do Coração" (1908), do escritor austríaco Jacob Wassermann, e o filme "O Enigma de Kaspar Hauser" (1975), do cineasta alemão Werner Herzog.

Fanny Bernard: uma voz antivivisseccionista no século XIX

Nascida em 1819, em Paris, Marie-Françoise Martin - chamada afetuosamente de Fanny - era filha do médico Henri Martin e de Anna-Antonette Hezette. Ao se casar com o fisiologista Claude Bernard, em 1845 (o mesmo ano da fundação da primeira sociedade protetora de animais da França, a SPA), ela incorporou o sobrenome do marido, substituindo Martin por Bernard. Dessa união - que teria sido de conveniência, segundo o romancista português Fernando Namora - nasceram quatro filhos: Jeanne-Henriette, Marie-Louise, Louis-Henri e Claude-Henri, tendo os meninos morrido ainda pequenos. Sabe-se que Fanny gostava de animais, sobretudo cães, postura esta que lhe indispôs contra o esposo, cujos procedimentos vivisseccionistas difundiam-se pela Europa, tornando-se referenciais no meio científico. Naquele tempo, aliás, o animal mais utilizado nas práticas invasivas era o cão, proveniente dos canis públicos ou dos depósitos de animais errantes capturados nas ruas de Paris.

Tiradentes – como nascem as revoluções

Este ensaio, de cunho histórico, trata de um movimento de libertação que aconteceu em Minas Gerais, fins do século XVIII. Tiradentes e outros trinta ativistas políticos, ao desafiarem a ordem vigente planejando uma insurreição contra a Coroa, arriscaram suas vidas por uma causa. O texto fala de liberdade, de utopias, de repressão, de tortura e da morte que sublima a vida. É dedicado a todos aqueles que acreditam em seus ideais.

- Apoio -

Petições

Últimas notícias

Mais uma cachorrinha aparece morta em Campo Limpo Paulista, SP

Mais uma cachorrinha aparece morta em Campo Limpo Paulista, SP

A leitora Rosy Domingos relata que sua cachorrinha Lilica apareceu morta na rua Amor Perfeito, no Parque Internacional de Campo Limpo Paulista. Já são...
Cachorros são envenenados em Campo Limpo Paulista, SP

Cachorros são envenenados em Campo Limpo Paulista, SP

Leitora do “Jornal da Região” pede para a Polícia Civil de Campo Limpo Paulista investigar quem está jogando comida com veneno para cachorros. Neste...
Divulgado vídeo de brutais maus-tratos que recebem os cães resgatados no terremoto no México

Divulgado vídeo de brutais maus-tratos que recebem os cães resgatados no terremoto no México

O dia 19 de setembro de 2017 é uma data que os mexicanos sempre terão presente. Foi um dia em que muitos perderam tudo....

Redes sociais

91,884FãsCurtir
511SeguidoresSeguir
783SeguidoresSeguir
7,664SeguidoresSeguir

Visite o site