Chega de safaris: desconstruindo ‘A Fazenda Africana’

“Tive uma fazenda na África, no sopé das montanhas N´Gong…”. Assim singelamente a escritora dinamarquesa Karen Blixen, sob o pseudônimo de Isak Dinesen, inicia seu fantástico relato sobre os anos vividos no Quênia, assunto do best seller A Fazenda Africana, publicado em 1937.

A fábula do bode e do tigre

Longe de causar um momento fofura, a notícia do bode colocado na jaula do tigre para que fosse comido, e que contrariando as expectativas (falaremos dessas “expectativas”…) desenvolveu com seu predador natural uma inesperada amizade, provocou-me muita inquietação.

Direitos animais: do que são feitas as meninas?

De que são feitos os meninos?
De que são feitos os meninos?
Rãs, caracóis, rabinhos pequeninos…
Disto são feitos os meninos!

De que são feitas as meninas?
De que são feitas as meninas?
açúcar, perfumes e outras coisas finas…
disto são feitas as meninas!

Protetor não é acumulador: cuidado com essa construção especista!

Na última edição do programa global Profissão Repórter, mais uma vez, foi abordada a síndrome do hoarding, ou do acumulador. É um tema chamativo, que desperta no público aquela agradável sensação de descobrir-se normal e bem adaptado aos padrões vigentes, pela simples contemplação das esquisitices alheias. E não poderia faltar, é claro, o maluco mor, o acumulador/colecionador de animais, o transgressor insano que escolhe enxergar o outro nas espécies não humanas.

Assassinato na GNT: um não saber sabendo…

Por Liège Copstein

Tinha uns oito ou nove anos quando me exportaram, por duas semanas, para a fazenda de uma tia. Minha irmã estava com sarampo complicado – naquele tempo todas as crianças tinham sarampo – e ninguém mais podia se ocupar de mim.

Ao Açougueiro Vegano: uma resposta ao ataque da National Hog Farmer contra o projeto vegano The Herbivorous Butcher

Por Liège Copstein

Em 25 de janeiro, a editora do blog National Hog Farmer (entidade americana que explora porcos para abate) Cheryl Day, publicou um artigo criticando a proposta do The Herbivorous Butcher, um bistrô vegano inaugurado nos EUA que oferece alternativas vegetais à carne e aos laticínios. (aqui: http://nationalhogfarmer.com/blog/vegan-butcher-just-plain-wrong#comment-374041)

Divino é não matar

Por Liège Copstein

Poucas dezenas de pessoas  compareceram à PUCRS em Porto Alegre, numa tarde chuvosa em meados de abril, para ouvir a palestra “Aprender a tocar o outro: uma ética Animal na filosofia de Derrida”, com o professor Patrick Llored, da Université Jean Moulin Lyon 3, na França.

Dia de matar o porco

Dia de matar o porco

Venho de uma capital onde os pedaços de carne nascem nas bandejas e frangos felizes usam capacetes enquanto correm para as panelas. Aqui, existe o dia de matar o porco. É um evento social através do qual meninos tornam-se homens e homens certificam-se de que ainda são. Mulheres não comparecem, mas comentam entre si, com um sorrisinho condescendente ainda que orgulhoso: “eles foram matar o porco”.

Ansiedade de separação

Max, o akita da vizinha, passou a noite chorando. Há semanas uiva ininterruptamente, dia e noite, pois perdeu a mãe e única companhia com quem dividia o espaço diminuto do pátio onde vive.