Foto: Pixabay

Congressista denuncia experimentos cruéis onde gatinhos são reproduzidos, envenenados e então queimados até a morte

Infelizmente, os contribuintes financiam para atos inimagináveis de crueldade animal, muitas vezes sem o conhecimento deles. Desde subsidiar fazendas industriais dirigidas pelo grupo Big Meat and Dairy, o abate de cavalos e burros selvagens pelo bem dos fazendeiros de gado, assim como custear a infinidade de experimentos laboratoriais que usam animais, o governo dos EUA apoia a crueldade animal, mas mascara isso com uma terminologia diferente.

Foto: divulgação Kosmocience

Pele descartada de cirurgias plásticas substitui uso de animais em testes de cosméticos

Estima-se que todos os anos mais de 115 milhões de animais sejam usados como cobaias em testes de laboratórios pelo mundo. Muitos passam por procedimentos cruéis. Mas nos últimos anos, cada vez mais, utilizam-se métodos alternativos substitutivos (culturas de células e tecidos, métodos químicos e computacionais) para a realização de experimentos, muitos deles, considerados por especialistas mais seguros e confiáveis do que os testes feitos com bichos.

Imagem: Pixabay

Parlamento Europeu apoia proibição internacional de testes em animais para cosméticos!

A luta para acabar com testes em animais tem sido um foco importante no movimento dos direitos dos animais por décadas, mas graças a ativistas incansáveis, a questão se tornou uma grande preocupação para o público em geral também. A União Europeia fez história em 2013 quando proibiu testes em animais para cosméticos, e vários outros países, incluindo Brasil, Índia, Coreia do Sul e Nova Zelândia, também têm proibições semelhantes, mas ainda não há leis que proíbam esses testes em 80 por cento do mundo.

Pelo projeto, os testes em animais só seriam permitidos em situações excepcionais, em que houver graves preocupações em relação à segurança de um cosmético e após consulta à sociedade.

Projeto que proíbe uso de animais em testes de cosméticos está pronto para ser votado em Comissão do Senado

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) entregou à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) seu relatório sobre o projeto que proíbe uso de animais em pesquisas e testes para produção de cosméticos. Com isso, a proposta (PLC 70/2014) está pronta para entrar na pauta do colegiado. A tarefa de definir quais as proposições a serem votadas é do presidente da comissão, Tasso Jereissati (PSDB-SP).