SP saoroque 3 thumb

Invasão ao prédio do Instituto Royal em São Roque completa um ano

A invasão ao Instituto Royal, de São Roque (SP), completa um ano neste sábado (18). A invasão resultou no furto de 178 beagles, sete coelhos e mais de 200 camundongos, além da destruição de diversos arquivos de pesquisas que estavam sendo realizadas. No último domingo (10), um grupo de ativistas esteve no prédio e constatou que o prédio está totalmente abandonado – uma ativista, que prefere não se identificar, disse à reportagem do G1 que a ideia era desmentir boatos de que ainda existiam animais no local. “Fomos lá e vimos que tudo está fechado. Não tem nada no local, nem móveis. Eu até fiquei sabendo que o local vai ser vendido e vai ser construito até um hotel no local”, frisou.
LEIA MAIS Invasão ao prédio do Instituto Royal em São Roque completa um ano
CIENCIA testes-animais-humanos-artificiais-noticias-history-channel-2 thumb

Humanos artificiais podem dar fim a experimentos com animais

O projeto poderia ser, a principio, uma ótima notícia, se não fosse pelo fato de ser tão intrigante. Afinal, a criação de micro-humanos através de microchips não soa muito bem. O projeto se chama ‘Humano em chip’, e visa à criação de micro-humanos artificiais para tentar acabar, ou, pelo menos, reduzir a necessidade de utilizar animais para a realização de experimentos em laboratório.

LEIA MAIS Humanos artificiais podem dar fim a experimentos com animais

Estudo da legislação europeia referente à proibição da experimentação de cosméticos e seus ingredientes em animais, bem como sua comercialização

A legislação europeia referente à proibição dos testes de cosméticos em animais é rebuscada e confusa e tem gerado controvérsia com relação ao seu entendimento. Esboço o presente artigo com vistas a um melhor entendimento sobre a matéria.
LEIA MAIS Estudo da legislação europeia referente à proibição da experimentação de cosméticos e seus ingredientes em animais, bem como sua comercialização
SP saoroque 1

‘Antes era um experimento, agora é um cão’, diz tutora de beagle do Royal

À primeira vista, Tutuca parece uma cachorrinha qualquer. Carinhosa, adora um cafuné, brinca, corre, late. Mas não foi sempre assim: seis meses atrás, ela era um dos 178 beagles que foram furtados durante uma invasão de ativistas ao Instituto Royal, laboratório localizado em São Roque (SP), a 59 km de São Paulo, que era acusado de maus-tratos a cães durante experimentos de produtos farmacêuticos.
LEIA MAIS ‘Antes era um experimento, agora é um cão’, diz tutora de beagle do Royal
EUA 06983453700

‘Uso de animais para estudar doenças e testar drogas para uso humano é um grande erro’

O uso de animais em testes científicos e pesquisas acadêmicas poderia ser interrompido hoje mesmo sem nenhum ônus para o avanço científico: essa é a opinião do Dr. John Pippin, diretor de negócios acadêmicos da associação americana PCRM (sigla em inglês para Comitê Médico Pela Medicina Responsável), sobre o uso de animais em pesquisas laboratoriais e acadêmicas.
LEIA MAIS ‘Uso de animais para estudar doenças e testar drogas para uso humano é um grande erro’

Métodos alternativos

Existem diversas interpretações relativas ao que sejam “métodos alternativos”. Na interpretação mais difundida, porém pouco fundamentada, métodos alternativos são aqueles que podem ser “alternados” com técnicas que utilizem animais.

LEIA MAIS Métodos alternativos

A questão da utilização científica de animais e a formação dos comitês de ética

A experimentação animal tem sido debatida em todo mundo. Biólogos, médicos e outros cientistas têm se levantado para se pronunciar a seu favor ou contra ela. Seus prós e contras tem sido apresentados, às vezes por uma abordagem científica, às vezes por uma abordagem ética. Auto-denominados “comitês de ética” tem sido criados com o objetivo de prontamente resolver a questão, conciliando todas as partes e tornando a experimentação aceitável pelo ponto de vista ético. Mas de que forma o cidadão comum, alheio às atividades acadêmicas, pode tomar parte nessa discussão? Tem ele o direito de opinar, não tendo suficientes conhecimentos de biologia, fisiologia, bioquímica e disciplinas afins?

LEIA MAIS A questão da utilização científica de animais e a formação dos comitês de ética
RS portoalegre 01478037500 thumb

A revolução dos bichos

Os ratos provavelmente seriam guilhotinados. Ou talvez morressem depois de um procedimento chamado deslocamento cervical: uma das mãos do pesquisador pressiona uma pinça sobre a nuca do animal, enquanto a outra puxa o rabo para trás. Em último caso, os ratos seriam colocados em um saco preto com algodão embebido em éter. Suas mucosas queimariam dolorosamente. 
LEIA MAIS A revolução dos bichos