Floresta de Dean, Gloucestershire, Inglaterra

Controle populacional de javalis

Em 05 de dezembro de 2017 fui convidado a tomar parte da sessão da CPI de Maus-Tratos Contra os Animais que tratou da caça ao javali em SP. Infelizmente, o rito da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, onde deputados e autoridades tem o direito de fazer uso do tempo que quiserem, não me permitiu realizar a apresentação (disponível aqui).

Alckmin veta projeto de lei e libera uso de animais em faculdades de SP

Alckmin veta projeto de lei e libera uso de animais em faculdades de SP

Na data de hoje, 26 de julho de 2017, o governador Geraldo Alckmin está vetando o Projeto de Lei n. 706 de 2012 após este haver sido aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Este é o projeto que restringe a utilização de animais em atividades de ensino no Estado de São Paulo, do deputado Feliciano Filho.

Manejo não letal de capivaras

Manejo não letal de capivaras

Desde que o ser humano se entende como tal necessitou classificar os demais seres vivos de acordo com a forma como estes se relacionavam com ele. Dessa forma, havia os animais e plantas comestíveis e os não comestíveis, os perigosos e os não perigosos. Esta forma de classificação não tinha qualquer base científica ou filogenética, tal como o sistema taxonômico organizado por Carl von Lineé (século XVIII) em seu Systema Naturae, mas se apresentava como um sistema pragmático que viabilizava ou facilitava a adaptação humana ao seu meio.

Do simpósio sobre zoos na USP

No dia 24 de maio de 2015 participei de um simpósio na USP cujo tema era “O papel de zoológicos e aquários na conservação”. Fui convidado para o evento para palestrar sobre o tema “A conservação pelo olhar de um santuário de animais selvagens”, e assim poder proporcionar ao público, especialmente estudantes, uma visão em relação aos santuários de animais, pouco conhecidos de maneira geral.

O papel da pecuária em nossa crise hídrica

Há anos escrevi alguns artigos denunciando os diferentes impactos ambientais – destruição dos ecossistemas naturais, eliminação de fauna e flora nativos, contribuição ao processo de desertificação, poluição ambiental, diminuição da capacidade suporte, etc – causados pela pecuária e comparando os custos ambientais da produção de diferentes itens alimentares, especialmente no que diz respeito ao uso da terra e da água.

Zoos x Santuários

Por Sérgio Greif 

Li na data de ontem texto publicado pela Dra. Yara de Melo Barros (http://www.oeco.org.br/convidados/28902-zoos-x-santuarios-uma-disputa-sem-futuro-e-sem-utilidade), Presidente da Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil, intitulado “Zoos x Santuários: uma disputa sem futuro e sem utilidade”, onde ela defende que zoológicos se justificam por motivos de conservação de espécies e pela possibilidade de que os visitantes possam ser sensibilizados para questões ambientais através do contato com os animais.

O desafio do balde de gelo e os direitos animais

Confesso que não sei o que ‘beijinho no ombro’ significa. Sou alheio aos bordões de novela que vejo as pessoas repetirem, tampouco conheço os bordões do Zorra Total, do CQC, do Pânico ou de qualquer programa popular de TV que seja. Desconheço os memes que circulam na internet, eles para mim não fazem sentido, não sei como essas coisas pegam.

Em defesa dos direitos animais: Uma análise crítica da argumentação de um filósofo bem-estarista

O presente artigo é uma análise crítica do artigo recentemente publicado por Carlos Naconecy “Bem-estar Animal ou Libertação Animal? Uma Análise Crítica da Argumentação Antibem-estarista de Gary Francione”. Cabe, no entanto, antes de iniciar essa análise critica, esclarecer que a defesa que faço nesse artigo é a defesa dos direitos animais e não do autor criticado em si. Pessoalmente não tenho porque defender Francione até porque creio que ele pode defender suas ideias melhor do que eu, no entanto, em sua análise critica Naconecy faz mais do que criticar um autor.