Cavalo com sinais de maus-tratos agoniza há dias em praça de Maceió, AL

Dependendo de resultados de exames, o animal, que está muito ferido, pode ser sacrificado.

1511
Centro de Zoonoses realiza trabalho para a retirada do cavalo abandonado no Osman Loureiro (Imagem: Reeprodução TV Gazeta)
Centro de Zoonoses realiza trabalho para a retirada do cavalo abandonado no Osman Loureiro (Imagem: Reeprodução TV Gazeta)

Um cavalo bastante machucado está agonizando há dias em uma praça do Conjunto Osman Loureiro, em Maceió. Sem força, ele não levanta mais. Pelo corpo, há muitas feridas e, como sente muita dor, o animal fica se debatendo. Uma cena de cortar o coração.

Segundo os moradores do conjunto, o cavalo foi abandonado na terça-feira (29), às 16h. Sensibilizados com a triste situação do animal, eles se uniram para tentar salvar a vida dele até a chegada de equipes de socorro, o que só aconteceu nesta quinta (31).

“Algumas pessoas já nos ajudaram com bananas, cenouras, fubá de milho. Mandei comprar soro também para que ele possa se levantar e tomar força para conseguir levantar de novo”, disse a aposentada Marlete Madalena.

“Todo mundo colaborando para comprar medicamento, pessoal se revezando. Um ajuda, outro vem, coloca o soro. É chocante. Dói no coração”, contou o porteiro Leonardo Silva.

Uma veterinária voluntária esteve no local ontem e receitou um soro, mas, mesmo assim, a fraqueza do cavalo continuou. Uma ONG de proteção animal foi até o bicho, mas não tinha equipamentos para remover ele do local e não pode fazer muita coisa.

Já nesta quinta, a Polícia Militar e o Centro de Controle de Zoonoses apareceram para tentar retirar o cavalo da praça. No entanto, é preciso fazer um exame para saber se o bicho tem condições de ser tratado ou se vai precisar ser sacrificado.

O veterinário da cavalaria da PM se dirigiu ao local também para ajudar e fazer um diagnóstico. O profissionais não quiseram dar entrevista ao AL TV justamente por não saber precisamente qual o problema do cavalo.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.