Foto: Divulgação

CCZ cria página no Facebook para divulgar projeto de adoção, em Araguaína, TO

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Prefeitura de Araguaína recebe cerca de 300 animais domésticos todos os meses. Entre eles, muitos chegam doentes e maltratados. Após a recuperação, os animais sem sinais de agressividade são colocados para doação. Mas o número de bichinhos abrigados não pára de crescer.

Assim, para incentivar a adoção e a guarda responsável, o CCZ criou um perfil no Facebook para divulgar o Projeto Adote. O perfil UVZ Araguaína divulga as fotos dos animais disponíveis para adoção e tenta aproximar os pets de seus novos tutores. “O grande problema em Araguaína é que a maioria das pessoas não quer o trabalho de cuidar do animal, quer só como proteção. Não dão ração, vacinas, remédios e levam até o veterinário. E quando o animal já está bem doente, vem entrega-lo aqui para recuperarmos. O foco do órgão é de prevenção de transmissão de doenças, mas fazemos de tudo para tentar salvar o animal”, avalia o veterinário Márcio Sérgio Pereira.

De acordo com o diretor do CCZ, Henrique Xisto, há pelo menos 30 animais disponíveis para adoção somente no mês de abril. “Nós recebemos duas ninhadas e uma nasceu aqui dentro. O dono desses animais não tinha como cuidar de tantos filhotes, então, nós fomos buscar para tratar e fazer as doações. Eles precisam de carinho, conforto e segurança”, destaca.

O empresário Orlando Ribeiro, 53 anos, foi ao CCZ na última sexta-feira, 13, à procura de um cachorro para deixar na chácara que possui em Araguaína. Ele conta que irá deixar o animal na responsabilidade do caseiro, mas vai garantir para que seja bem tratado: “Tenho cães em minha casa, sei que é necessário dar ração, vacinas e remédios. Desta parte sou eu que vou tratar”.

O CZZ de Araguaína fica na Av. Verdes Mares, 21 – Parque Sonhos Dourados. Em caso de dúvidas, moradores podem entrar em contato no CCZ pelos seguintes os telefones são: 0800 646 7020, 3415-5307 ou 3411-7040.

Por Jéssica Pereira

Fonte: E-Daily

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.