Centro de Controle de Zoonoses de Resende (RJ) inicia campanha de vacinação antirrábica

158
A meta do governo municipal é imunizar 13 mil animais durante a campanha, até o fim do ano, na zona rural e urbana - Foto: Carina Rocha-PMR
A meta do governo municipal é imunizar 13 mil animais durante a campanha, até o fim do ano, na zona rural e urbana - Foto: Carina Rocha-PMR

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Resende inicia nesta quarta-feira, dia 9, a campanha de vacinação antirrábica de 2018. A primeira etapa da ação será concentrada na zona rural da cidade, abrangendo, no mês de maio, as localidades do Náutico/Terra Livre, Serrinha, Capelinha e Estrada da Limeira. O calendário terá em seguida, no dia 19, a vacinação na Serrinha e na Capelinha. E, no dia 23, a imunização será realizada na região da Estrada da Limeira. A meta de Resende é imunizar, até o final do ano, mais de 13 mil animais, incluindo também a área urbana do município.

De acordo com o coordenador do CCZ, Rodrigo Campos, para alcançar o maior número possível de animais, os técnicos do CCZ se deslocarão de forma volante pelas áreas mais afastadas para aplicar as doses da vacina. Campos alerta que sintomas como dores no local, febre e comportamento mais quieto do animal podem ocorrer até 36 horas após a vacinação. A imunização deve ser feita em cães e gatos a partir dos seis meses de idade, com exceção das fêmeas prenhes que devem receber a dose apenas após o parto. Segundo o coordenador, a vacina tem validade por apenas um ano, o que significa que os animais imunizados no ano passado precisam tomar a dose este ano novamente.

Pensando na segurança de todos, a orientação do coordenador é para que os proprietários evitem levar o animal solto até o local de vacinação. O ideal, segundo ele, é que os cães sejam conduzidos com guia e coleira, e os animais bravos, com focinheira. Já os gatos devem ser levados em caixas ou gaiolas para evitar fugas, ou que sejam atacados por cachorros. Campos lembra que, desta forma, tanto os animais, como a equipe responsável pela vacinação estarão mais seguros.

A raiva é transmitida do animal para o homem e apresenta uma alta taxa de mortalidade, chegando a alcançar quase 100% entre os animais. Os principais transmissores são os animais silvestres, como morcegos, raposas e macacos, que contaminam cachorros, gatos e humanos de forma acidental. Os principais sintomas são o aparecimento repentino de agressividade no animal, salivação excessiva e paralisia.

Fonte: A Voz da Cidade

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.