Gato: vila na Nova Zelândia quer banir esse animal para proteger espécies nativas (Fermate/Thinkstock)

Cidade na Nova Zelândia quer banir todos os gatos

A pequena vila de Omaui, que fica no sul da Nova Zelândia, está planejando banir todos os gatos domésticos. De acordo com o jornal britânico The Guardian, a estratégia do conselho regional local tem como objetivo a proteção de espécies nativas de animais. O plano ainda está sob análise e aberto para receber contribuições dos residentes até outubro.

Segundo a gerente de biossegurança da cidade, Ali Meade, em entrevista ao site Newshub, lembrou que Omaui é uma reserva natural que precisa ser protegida. “Há gatos entrando na mata nativa, caçando pássaros locais, insetos, répteis. Estão causando muitos danos”, observou. “Não somos contra gatos, mas gostaríamos de ver donos mais responsáveis”, notou.

Sob a iniciativa proposta, os gatos domésticos já existentes seriam cadastrados e receberiam microchips. Na medida em que esses animais forem falecendo, não seria permitido que os residentes tivessem mais um. Nem todos os moradores estão satisfeitos com essa estratégia e já existe uma mobilização contra a medida.

Ainda de acordo com a publicação, embora polêmico, o plano acontece num momento em que o país tenta colocar em prática uma estratégia maior, e mais agressiva, para se livrar de predadores como ratos e gambás, que foram introduzidos ao ecossistema local ao longo dos anos, e tentar recuperar espécies nativas, como a ave Kiwi, símbolo da Nova Zelândia.

Outros lugares do país, como Auckland, também estudam maneiras de neutralizar a ação de gatos domésticos na natureza. Uma alternativa em análise é a de sacrificar qualquer desses animais que forem encontrados em áreas de proteção e que não estejam devidamente registrados com microchips.

Fonte: Exame

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.